Telecomunicações Trabalhadores da PT sem funções estão dispensados de ir trabalhar

Trabalhadores da PT sem funções estão dispensados de ir trabalhar

A PT informou os trabalhadores que estão sem funções que não precisam de se deslocar para o seu local de trabalho, enquanto não se encontra uma solução para cada situação.
Trabalhadores da PT sem funções estão dispensados de ir trabalhar
Marta Poppe
Negócios 11 de outubro de 2017 às 07:50

Os trabalhadores da PT que estão sem funções receberam nos últimos dias uma proposta que os dispensa de irem trabalhar, avançam o Expresso e o Público. A missiva foi assinada pela directora de recursos humanos, Ana Rita Lopes, que diz autoriza, "a título excepcional e temporário, a dispensa de assiduidade". Esta dispensa começa no dia 15 de Outubro e termina a 15 de Janeiro de 2018. São três meses em que estes funcionários podem ficar em casa. Mas, alerta a mesma proposta, esta decisão "pode cessar a qualquer momento por iniciativa da empresa".

 

O Expresso diz que muitos trabalhadores vão aceitar a proposta, que não é obrigatória, porque é uma forma de diminuir a pressão psicológica. Já o Público adianta que a comissão de trabalhadores e os sindicatos foram apanhados de surpresa, tendo pedido à equipa liderada por Cláudia Goya (na foto) que "suspenda o processo enquanto este não for discutido e os seus contornos explicados". Francisco Gonçalves, da comissão de trabalhadores, diz que é preciso que a empresa explique os objectivos desta medida.

 

A PT explicou ao Público que "foram pedidas contribuições aos sindicatos que até ao momento ainda não foram recebidas. As soluções encontradas pela PT / Altice até à data passam por: encontrar funções para os trabalhadores em causa, propor condições vantajosas de saída e dar dispensa de assiduidade até se conseguir encontrar o enquadramento adequado".




A sua opinião24
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 4 semanas

Caro Jornal de Negócios, é um facto que a Altice em Poortugal, tal como outras organizações portuguesas, está de mãos e pernas atadas devido ao governo socialista, à constituição do PREC de 1976 e à legislação laboral. E isso tem feito e continuará a fazer toda a diferença pela negativa. "As empresas de telecomunicações, tal como outras companhias dos sectores tecnológicos, estão a reestruturar-se, eliminando postos de trabalho a favor da automação, e reposicionando-se em novos projectos" Fonte: “Telecommunications providers, like other tech companies, are undergoing restructuring, losing jobs to automation, and pivoting to new projects,” (Relatório da Challenger, Gray & Christmas de Março de 2017) https://www.challengergray.com/press/press-releases/2017-march-job-cut-report-cuts-rise-17-percent-telecom-retail

comentários mais recentes
estouapau Há 1 semana

COMO É QUE UMA GAJA TÃO BOA PODE FAZER TANTO MAL?

Fatima Panquecas Há 1 semana

Quando a Altice tentou salvar a PT da falência deveria renovar os seus quadros com pessoas com vontade de trabalhar, e despachar estes que passam 365 dias de ferias no próprio local de trabalho, com subsídios e ajudas de custo para tudo. Como ade ir para frente uma empresa com tantos paraitas.

Romeno Há 1 semana

A Altice deveria de dar um grande xuto na bunda de estes burlista e vigarista de meia tijela que so estão a xular a empresa.

Anónimo Há 1 semana

A Altice para sobreviver , terá mesmo que cortar em mais de metade da força de trabalho , as empresas concorrentes tem cerca de 1/3 dos trabalhadores directos , ja deviam ter feito a reformulação da empresa a muito
tempo e não foi ... foi se estragando a empresa com gestao má.

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub