Transportes Trabalhadores do Metro de Lisboa assinam acordo após cinco anos de negociações

Trabalhadores do Metro de Lisboa assinam acordo após cinco anos de negociações

Os trabalhadores do Metro de Lisboa decidiram hoje, em plenário, assinar o Acordo de Empresa (AE) e regulamentar assim as suas relações laborais, disse à Lusa Anabela Carvalheira, da Federação dos Sindicatos dos Transportes (FECTRANS).
Trabalhadores do Metro de Lisboa assinam acordo após cinco anos de negociações
Bruno Simão/Negócios
Negócios 28 de Outubro de 2016 às 13:44
"Os trabalhadores votaram por maioria que os sindicatos ficassem mandatários para a assinatura do AE com o Conselho de Administração", disse a sindicalista no final do plenário que "foi muito participado".
 
"Que [este AE] possa ser o meio para que os trabalhadores vejam definitivamente regulamentadas as suas relações laborais", acrescentou.
 
Segundo Anabela Carvalheira, este AE "não colide em nada com as leis vigentes, apenas regulamenta algumas matérias que não estavam regulamentadas".
 
O documento, sublinhou, "dignifica os trabalhadores do Metro e dignifica a empresa, porque verá as questões laborais mais calmas".
 
"É um primeiro passo muito significativo. Estivemos a lutar por um AE durante cinco anos", afirmou.
 
Anabela Carvalheira disse ainda que será proposto à administração do Metro que o AE seja assinado já na próxima reunião, marcada para 9 de Novembro.
 
Apesar desta decisão dos trabalhadores, a delegada sindical fez questão de "separar as águas" e assegurou que vão "continuar a lutar" por outros direitos.
 
"Os trabalhadores não têm aumentos desde 2007, nem progressão nas carreiras, tem de se fazer investimentos no Metro e o Governo tem de desbloquear a contratação colectiva", resumiu.
 
Afirmando que estas questões dependem do Orçamento do Estado, Anabela Carvalheira adiantou que vão participar nas acções que forem organizadas "para que o Governo perceba que os trabalhadores têm direito a ver melhoradas as condições de trabalho e da sua vida".



A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 6 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

E quanto a melhorar a qualidade de serviço? O pobre do cliente paga e anda como sardinha em lata!

Anónimo Há 6 dias

Grandes chulos, eu que pago passe mensal para sustentar essa mherda que me lixe. Desde que os fdp dos sindicatos tomaram novamente conta daquilo o serviço prestado é MISERAVEL. Cambada de comunas!!!

Anónimo Há 6 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

Anónimo Há 6 dias


FP . CGA – 40 ANOS A ROUBAR OS TRABALHADORES E PENSIONISTAS DO PRIVADO

TAP, CARRIS, METRO E CP

Lá vem os chantagistas dos funcionários dos transportes públicos, chular os contribuintes e roubar os passageiros, que são quem lhes paga os elevados salários e pensões!

pub