Transportes Tráfego na Via do Infante cresce a dois dígitos

Tráfego na Via do Infante cresce a dois dígitos

A antiga Scut do Algarve, que perdeu tráfego com a introdução de portagens, é a que mais tem crescido este ano. Só em Março, em termos homólogos, o aumento da circulação foi de quase 40%.
Tráfego na Via do Infante cresce a dois dígitos
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 09 de Dezembro de 2016 às 18:36

O tráfego médio diário na Via do Infante cresceu mensalmente, entre Janeiro e Junho, a dois dígitos, sendo a concessão rodoviária com maior aumento na circulação, revelam os relatórios de tráfego divulgados pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT) relativos aos dois primeiros trimestres deste ano.

De acordo com os relatórios, em Janeiro o tráfego médio diário na concessão do Algarve cresceu, em termos homólogos, 20,3%, em Fevereiro 24,7% e em Março 39,3%. Em Abril o acréscimo registado na circulação foi da ordem dos 11,4%, em Maio de 18,8% e em Junho de 18,5%.

A Via do Infante foi das vias que perdeu mais tráfego com a introdução de portagens nas antigas Scut nos anos de 2010 e 2011.


Este ano, o desempenho da auto-estrada algarvia tem contribuído para que no conjunto das auto-estradas nacionais o tráfego médio diário tenha crescido todos os meses.

Segundo o relatório do IMT, o tráfego aumentou em Janeiro, em média, 4,7%, registando igual crescimento no mês seguinte. Em Março o acréscimo foi de 8%, em Abril de 1,1% e em Maio de 3,1%. Em Junho o aumento, em termos homólogos, foi de 6,4%.

Nesse mês, além da Via do Infante também a concessão Douro Litoral viu o tráfego crescer a dois dígitos (16,6%).Todas as restantes concessões, à excepção da Infraestruturas de Portugal, registaram aumentos na circulação.

Em Dezembro de 2015 já estavam a circular pelo conjunto das auto-estradas portuguesas quase 16 mil veículos em média por dia, número apenas ultrapassado pelo tráfego registado em 2010.

Recorde-se que as concessões do Grande Porto, Costa de Prata e Norte Litoral passaram a ter portagens em 2010, enquanto nas restantes quatro ex-Scut, designadamente a do Algarve, foi introduzida a cobrança aos utilizadores no final de 2011.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Slater Há 1 dia

João Paulo
Essa conclusão não é (totalmentre) válida, porque depois das obras terminarem (em junho, como você refere), temos o mês de setembro com um crescimento 19%:
"No passado mês de Setembro, a antiga Scut do Algarve, uma das vias que mais tráfego perdeu com a introdução de portagens, registou um aumento de 19% na circulação face ao mesmo mês de 2015."

http://www.jornaldenegocios.pt/empresas/transportes/detalhe/trafego-nas-auto-estradas-volta-aos-niveis-pre-crise?ref=HP_DestaquesPrincipais

Jorge Paulo Há 1 semana

Apenas cresceu nesses meses porque a EN125 esteve em obras, precisamente durante esses meses.
Findadas as obras na EN125, todas os condutores voltarão a evitar circular pela Via do Infante por causa do valor excessivo das portagens.

pub