Transportes Tráfego nas auto-estradas em máximos de cinco anos em 2015

Tráfego nas auto-estradas em máximos de cinco anos em 2015

Desde 2010 que o tráfego diário nas auto-estradas nacionais não chegava aos níveis que atingiu em Dezembro de 2015. Na Via do Infante o crescimento foi de quase 21%.
Tráfego nas auto-estradas em máximos de cinco anos em 2015
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 30 de Novembro de 2016 às 13:29

Pelo conjunto das auto-estradas portuguesas circularam em média por dia, em Dezembro de 2015, quase 16 mil veículos, número apenas ultrapassado pelo tráfego registado em 2010.

De acordo com o relatório de tráfego na rede nacional de auto-estradas relativo ao último trimestre do ano passado, divulgado esta quarta-feira pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), em Dezembro a circulação aumentou em todas as concessões.

Em Dezembro de 2010, segundo dados do IMT, o tráfego médio diário ultrapassava os 17 mil veículos, tendo sofrido uma quebra para níveis da ordem dos 15 mil veículos no mesmo mês de 2011.

Recorde-se que as concessões do Grande Porto, Costa de Prata e Norte Litoral passaram a ter portagens em 2010, enquanto nas restantes quatro ex-Scut foi introduzida a cobrança aos utilizadores no final de 2011.

Olhando apenas para Dezembro, nos três anos seguintes (2012, 2013 e 2014), em média, a circulação nas auto-estradas nacionais não chegava aos 13 mil veículos por dia.

No último mês do ano passado, o tráfego médio diário aumentou no conjunto das concessões 4,5%. A maior subida registada foi no Algarve, onde a circulação rodoviária cresceu 20,9%.

Nesta via, o tráfego médio diário aproximou-se dos 7 mil veículos, níveis que não conhecia também há cinco anos.

De acordo com os relatórios do IMT, em Dezembro de 2010 a Via do Infante era utilizada por mais de 12 mil veículos por dia e no ano seguinte por menos de 6.500.

No final de 2015, também o tráfego na concessão Douro Litoral aumentou a dois dígitos (13,9%). Pelo contrário, foi a concessão da Lusoponte a que menos cresceu neste período, apenas 1,3%.




A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 3 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

comentários mais recentes
Anónimo Há 3 dias

BRISA a encher os bolsos... e eu tb

Anónimo Há 3 dias


O CÚMULO DA ASNEIRA.

O SOCAS GATUNO conseguiu endividar o país até à bancarrota (e o COSTA LADRÃO está a continuar o serviço).

Para onde foi o todo esse dinheiro, se nem sequer pagou as obras que mandou fazer (PPP) ?

Adivinhou: Salários e pensões da FP.


Anónimo Há 3 dias


CARRIS, METRO E CP

Só quem não anda de transportes públicos, é que pode estar contra a privatização.

O serviço da Carris, metro e CP é tão mau que os passageiros anseiam por uma mudança para melhor.

pub
pub
pub
pub