Transportes Tráfego nas auto-estradas volta aos níveis pré-crise

Tráfego nas auto-estradas volta aos níveis pré-crise

O número de veículos a circular nas auto-estradas nacionais voltou a aumentar no terceiro trimestre. É preciso recuar a 2010 para encontrar níveis de tráfego diário superiores ao registado em Setembro último.
Tráfego nas auto-estradas volta aos níveis pré-crise
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 21 de dezembro de 2016 às 17:22

O tráfego médio diário nas auto-estradas nacionais continua a registar crescimentos homólogos, tendo no passado mês de Setembro protagonizado uma subida de 7,8%, depois de ter aumentado 4,4% em Agosto e 6,9% em Julho.

De acordo com o relatório de tráfego da rede nacional de auto-estradas divulgado pelo Instituto da Mobilidade e dos Transportes (IMT), em Setembro o tráfego diário ultrapassava, em termos de média ponderada, os 18,6 mil veículos.

É preciso recuar a 2010 para encontrar níveis de tráfego em Setembro superiores ao registado há três meses. Nesse ano, o tráfego diário ultrapassava os 20 mil veículos, tendo no ano seguinte recuado para pouco mais de 18,3 mil.

Recorde-se que as concessões do Grande Porto, Costa de Prata e Norte Litoral passaram a ter portagens em 2010, enquanto nas restantes quatro ex-Scut foi introduzida a cobrança aos utilizadores no final de 2011.

No passado mês de Setembro, a antiga Scut do Algarve, uma das vias que mais tráfego perdeu com a introdução de portagens, registou um aumento de 19% na circulação face ao mesmo mês de 2015.

De acordo com os dados do IMT, a maior subida foi registada na concessão Douro Litoral, de 40,6%. A Norte Litoral e a Litoral Centro também registaram crescimentos a dois dígitos, de 15% e de 13,1% respectivamente.

Já a concessão da Infraestruturas de Portugal e a antiga Scut das Beiras Litoral e Alta foram as que registaram menores crescimentos na circulação em Setembro, de 1,1% e e de 4,1% respectivamente.


A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub