Aviação Tráfego nos aeroportos portugueses cresce 14,2% em 2016

Tráfego nos aeroportos portugueses cresce 14,2% em 2016

O presidente da Vinci Airports, que detém a ANA, salientou na assinatura do memorando de entendimento com o Estado para o aeroporto do Montijo, o crescimento a dois dígitos das infra-estruturas aeroportuárias nacionais.
Tráfego nos aeroportos portugueses cresce 14,2% em 2016
Bruno Simão/Negócios
Maria João Babo 15 de fevereiro de 2017 às 16:01

O tráfego nos aeroportos portugueses cresceu 14,2% em 2016 para 44,477 milhões de passageiros, com um crescimento de dois dígitos de todas as infraestruturas geridas pela ANA - Aeroportos de Portugal.

Na assinatura do memorando de entendimento entre o Governo e a ANA esta quarta-feira, 15 de Fevereiro, para avançar com a solução Montijo de suporte ao crescimento do tráfego em Lisboa, Nicolas Notebaert (na foto à direita), presidente da Vinci Airports, salientou que o ano de 2016 terminou com 66 companhias a operar nos aeroportos portugueses, face às 58 registadas no final de 2015. O número de destinos foi de 149, tendo sido criadas 27 novas rotas.

Em Lisboa, 2016 significou um aumento de 11,7% no número de passageiros para 22,4 milhões. O maior crescimento foi registado em Faro, onde a ANA teve um incremento de 18,5% para 7,6 milhões de passageiros, seguindo-se os Açores com mais 18% de passageiros, num total de 1,9 milhões.

No Porto houve um crescimento de 16% para 9,4 milhões de passageiros, e na Madeira o aumento foi de 15% para 3,1 milhões.


Desde a privatização da ANA, em 2012, o aeroporto de Lisboa cresceu em 7,2 milhões de passageiros.

O presidente da Vinci Airports salientou ainda que o tráfego da ANA cresceu ao ritmo mais elevado da Europa.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub