Aviação Travar greve na TAP é prioridade do novo CEO
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Travar greve na TAP é prioridade do novo CEO

Os pré-avisos de greve entregues pelos tripulantes de cabina já penalizam as reservas da transportadora aérea, que teme as consequências nas receitas. É que se 2018 for como 2017 para a TAP, a empresa antecipa em dois anos as metas que definiu.
Travar greve na TAP é prioridade do novo CEO
DR/TAP
Maria João Babo 30 de janeiro de 2018 às 23:10

Antonoaldo Neves assume esta quarta-feira a presidência executiva da TAP com uma greve à vista.

A paralisação marcada pelos tripulantes de cabina da companhia aérea, para 9 e 11 de Fevereiro, tem sido nos

)

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Ciifrão 31.01.2018

A TAP do Costa e do BE é assim: greves por tudo e por nada. A do BCP é diferente: estado de greve permanente.

Anónimo 31.01.2018

Portugal é uma economia que se foca exageradamente no sindicalismo e esquece por completo a boa gestão de recursos humanos, que teria que estar associada a um mercado laboral flexível, a um mercado de capitais forte e dinâmico, e a um Estado Social equilibrado e eficaz. Por isso tem vivido de resgate em resgate, fundo europeu em fundo europeu e com polícias, bombeiros, hospitais e escolas mal equipadas, cheias de infraestruturas decrepitas e material obsoleto dignos de países do Terceiro Mundo ou de há 40 anos atrás. Temos assim um país cada vez mais selvagem e barato, no pior sentido dos termos.

General Ciresp 31.01.2018

A mim ensinaram-me q nem tudo deve ser dito em familia.Sabendo a tap q a empresa esta MINADA de armenios nunca deveria trazer ca para fora a melhoria q dizem ter conseguido.Como funcionam os armenios:se ha lucros venham para ca,se ha prejuizos ma administracao da empresa(pao,pao,queijo,queijo).

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub