Tecnologias Travis Kalanick encaixa 1,4 mil milhões de dólares com venda de acções da Uber

Travis Kalanick encaixa 1,4 mil milhões de dólares com venda de acções da Uber

O co-fundador e antigo CEO da Uber vai vender cerca de um terço dos 10% que detém da Uber, no âmbito da entrada do SoftBank na empresa. Com a alienação destas acções, Travis Kalanick deverá encaixar 1,4 mil milhões de dólares.
Travis Kalanick encaixa 1,4 mil milhões de dólares com venda de acções da Uber
Reuters
Ana Laranjeiro 05 de janeiro de 2018 às 10:27

O acordo para o consórcio liderado pelos japoneses do SoftBank adquirir 17% da Uber foi firmado no final do ano passado. Para a concretização desta operação, o consórcio de investidores vai comprar acções que pertencem aos investidores iniciais da empresa que tem esta plataforma de serviço de transporte e também dos funcionários. Travis Kalanick, co-fundador da Uber e ex-CEO, vai vender uma participação que lhe vai permitir um encaixe de 1,4 mil milhões de dólares (mais de 1,1 mil milhões de euros) de acordo com fontes da Reuters.

O antigo CEO da Uber (que foi afastado no primeiro semestre do ano passado) detém 10% da empresa. E vai vender 29% desses 10% - cerca de um terço. Kalanick, segundo a Reuters, estaria disponível para alienar metade da sua participação. Contudo, e devido ao limite relativo à percentagem que ia ser adquirida pelo consórcio de investidores, o co-fundador vai vender apenas um terço da sua participação, relataram fontes da agência. Houve também outros investidores que não venderam tantas acções quanto esperavam fruto do grande interesse que a alienação de acções despertou.

Com a venda destas acções, Travis Kalanick pode tornar-se, pela primeira vez, multimilionário. Fontes da agência, acrescentaram que esta é a primeira vez que o co-fundador vai vender acções da empresa.

Entrada de novos investidores

Um consórcio liderado pelo japonês SoftBank chegou a acordo a 29 de Dezembro para comprar mais de 17% da Uber por 9 mil milhões de dólares (cerca de 7,5 mil milhões de euros), depois de os accionistas terem aceitado vender as suas acções a um preço com desconto.

De acordo com o Financial Times, o acordo alcançado representa uma grande vitória para o novo CEO da Uber, Dara Khosrowshahi, devendo desencadear mudanças ao nível da gestão, que consolidarão o seu controlo sobre a plataforma de transportes.

Rajeev Misra, presidente executivo do SoftBank Vision Fund, já informou que o negócio deverá estar concluído em Janeiro. "Temos uma enorme confiança na liderança e funcionários da Uber e estamos entusiasmados por podermos apoiar a empresa, que continua a reinventar a forma como pessoas e bens são transportados pelo mundo", afirmou.

O FT explicava que, nos termos do acordo, o SoftBank pagará cerca de 7,7 mil milhões de dólares por 15% das acções da Uber, comprando uma combinação de acções novas e existentes. O grupo de investimento japonês também vai nomear administradores para dois novos lugares no conselho de administração da Uber.

Os outros membros do consórcio, que incluem o Dragoneer, a Tencent, a TPG e a Sequoia, investirão em conjunto cerca de mil milhões de dólares e terão 2,5% das acções da Uber. No total, ficará nas mãos do consórcio cerca de 17,5% da Uber.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar