Desporto Três grandes do futebol português encaixam mais de 200 milhões em vendas

Três grandes do futebol português encaixam mais de 200 milhões em vendas

Encerrada a janela de transferências é chegada a hora para fazer o balanço dos movimentos feitos pelos três grandes do futebol português. O Benfica foi o clube que mais amealhou em vendas e o Sporting o que mais gastou em reforços. Já os dragões ficaram mesmo a meio dos rivais de Lisboa, sendo o segundo que mais vendeu e o segundo que mais gastou.
Três grandes do futebol português encaixam mais de 200 milhões em vendas
Reuters
David Santiago 01 de setembro de 2017 às 01:28

Agora que está fechado o período de transferências de Verão é o momento de olhar para as compras e vendas realizadas pelos três grandes do futebol português. Benfica, Porto e Sporting encaixaram um total de 205,5 milhões de euros em vendas.

Apesar do mercado estar já fechado, estes podem ainda não ser os valores finais. Falta incluir o valor que o Benfica encaixa com o grego Mitroglou. A imprensa fala de 15 milhões de euros, mas os encarnados apenas confirmaram a transferência para o Marselha, sem adiantar o valor envolvido.

Quanto ao Sporting, há dúvidas sobre a transferência de Adrien para o Leicester, pois o jogador está em Inglaterra mas a transferência não foi oficialmente anunciada. Além disso, há mercados (como o espanhol) onde ainda é possível efectuar inscrições, pelo que as vendas podem ainda não ficar por aqui. 

 
Mais vendas do que compras

Os três venderam praticamente quatro vezes mais do que compraram já que dos cofres da Luz, Dragão e Alvalade apenas saíram 54,75 milhões de euros para a aquisição de reforços.

 

A janela de transferências que agora encerrou foi mais produtiva para as "águias" que garantiram um saldo positivo de 109,2 milhões de euros entre compras e vendas (sem incluir o negócio Mitroglou e os custos com os empréstimos de Douglas e Gabigol). O Benfica amealhou 115,85 milhões de euros em vendas e apenas despendeu 6,65 milhões em aquisições. Assim o clube da Luz garantiu um saldo positivo de 109,2 milhões de euros.

 

O Porto aparece precisamente a meio entre os dois rivais lisboetas. Os "dragões" conseguiram 69,9 milhões de euros com a venda de passes de jogadores e gastaram 21 milhões de euros em compras. Os portistas tiveram um saldo de 48,9 milhões de euros.

 

Já o Sporting foi o mais gastador do futebol luso. Aos cofres dos "leões" chegaram 20,1 milhões de euros e saíram 27,1 milhões. Assim, o Sporting fecha o período de transferências com um saldo negativo de 7 milhões de euros, isto de Adrien continuar em Alvalade.

 

Ederson e André Silva foram as maiores vendas

 

A transferência do ex-Benfica Ederson para o Manchester City representa a maior venda feita por um clube português neste Verão. O guarda-redes brasileiro custou 40 milhões de euros ao clube orientado por Guardiola.

 

Segue-se a venda do avançado português André Silva que foi transferido do Porto para o AC Milan por 38 milhões de euros. O Benfica tem ainda mais duas vendas acima dos 30 milhões. O central sueco Victor Lindelöf foi vendido ao Manchester United por 35 milhões de euros e o lateral-direito luso Nélson Semedo custou ao Barcelona 30,5 milhões de euros.

 

Destacando ainda outras vendas, Rúben Neves saiu dos "dragões" para os ingleses do Wolverhampton por 17,9 milhões de euros e só depois surge a primeira transferência de monta realizada pelo Sporting: o defesa-central Rúben Semedo saiu de Alvalade para o Villarreal por 14 milhões.

 

Acuña foi o jogador mais caro

 

Tendo em conta que o Sporting foi o clube mais gastador, não espanta que as transferências mais dispendiosas tenham sido feitas pela equipa verde e branca.

 

O médio ofensivo argentino Marcos Acuña chegou do Racing por 9,6 milhões de euros, o médio-centro português Bruno Fernandes veio da Sampdoria por 8,5 milhões, o médio ítalo-argentino Bataglia chegou do Braga por 3,5 milhões e o italiano Piccini veio do Bétis de Sevilha por 3 milhões.

 

Seguem-se os azuis e brancos como os segundos mais gastadores, sendo que o Porto apenas adquiriu dois jogadores. O médio espanhol Óliver Torres custo 20 milhões. O antigo jogador do Atlético de Madrid já estava no Dragão desde a época passada mas a cláusula de compra obrigatória estipulava que só neste Verão seria accionada. Nota ainda para a compra do guarda-redes Vaná ao Feirense por 1 milhão de euros.

 

Por fim, o Benfica adquiriu o médio croata Krovinovic ao Rio Ave por 3 milhões de euros e o guarda-redes belga ao Anderlecht por 2 milhões. 

(Nota: Dados do site Transfermarkt)




A sua opinião6
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 01.09.2017

olà,venho por este meio lembrar os mais esquecidos jornalistas e propagandistas benfiquistas ,que ao que parece o rio ave tinha metade do passe do g redes ,logo de 40 milhoes passaria para 20

Anónimo 01.09.2017

Notícia vaga! Profissionalismo, não? O seu superior não tem vergonha de ter um elemento que é um básico, não é isento e como tal nada profissional?

Fil 01.09.2017

Gostava de saber como foram feitas as contas do benfica...é que os passes dos jogadores vendidos eram propriedade do benfica apenas em parte! será que o nacional-benfiquismo tolda as contas?! contabilizaram 100 % dos valores das transferências?!

Mr.Tuga 01.09.2017

Haja bimbos para sustentar esta corja asquerosa e repugnante como a "coisa" da foto....

ver mais comentários
Saber mais e Alertas
pub