Desporto Tribunal arbitral dá razão à Codecity e trava recompra da SAD do Belenenses

Tribunal arbitral dá razão à Codecity e trava recompra da SAD do Belenenses

O Tribunal Arbitral determinou a resolução do acordo parassocial assinado entre a SAD do Belenenses e o clube em 2012, segundo comunicado da empresa que gere o futebol profissional dos 'azuis' a que a agência Lusa teve acesso.
Tribunal arbitral dá razão à Codecity e trava recompra da SAD do Belenenses
Correio da Manhã
Lusa 08 de novembro de 2017 às 17:32

"O Tribunal Arbitral acaba de decidir que a actuação da direcção do C.F.B. para com a Belenenses SAD constituiu justa causa e bom fundamento para a resolução e consequente extinção do acordo parassocial celebrado no âmbito da Belenenses SAD, por se terem verificado sucessivas violações do dever de lealdade que vinculava o Clube" pode ler-se no comunicado.

 

Segundo o documento que será hoje emitido pela Codecity Sports Management (CSM), que detém a maioria do capital social da SAD dos 'azuis', os três juízes que formaram o tribunal arbitral - um nomeado pelo clube, outro pela CSM e o presidente escolhido pelas duas partes - tomaram "esta deliberação por unanimidade".

 

No mesmo comunicado, a CSM lamenta a "campanha" da direcção do clube, liderada por Patrick Morais de Carvalho, a qual "voltou a enfrentar a realidade e voltou a ser derrotada".

 

Contudo, a empresa que gere o futebol profissional do Belenenses diz querer "enterrar todas as desavenças e recomeçar", frisando mesmo estar disponível para negociar "um novo acordo parassocial, que refunde a relação em novas bases de entendimento e respeito recíproco".

 

Desta forma, o clube perde a possibilidade de recomprar os 51% da sociedade detidos pela CSM, num processo que foi iniciado em Junho de 2016, quando o clube solicitou a constituição de um tribunal arbitral para ver restituído e reconhecido o direito de exercer a recompra da SAD.

 

No dia 4 de Novembro de 2012, os sócios do Belenenses aprovaram, em Assembleia Geral, a proposta de alienação da maioria do capital social da SAD à Codecity Sports Management, liderada por Rui Pedro Soares.

 

Mais tarde, a 10 de Março de 2014, a SAD denunciou o contrato parassocial assinado com o clube, dando início a uma 'batalha' entre as duas partes e que nos últimos anos tem sido travada com mais vigor pelo presidente do clube, Patrick Morais de Carvalho, que sempre manifestou a intenção de recuperar a maioria do capital social da SAD e a gestão do futebol profissional.

 

Segundo o acordo parassocial, que foi agora considerado resoluto, o clube teria duas oportunidades para tentar a recompra da SAD, a última das quais entre Outubro deste ano e Janeiro de 2018. Após a decisão conhecida hoje, esta última 'janela' ficou sem efeito.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Beruno Há 1 semana

o rui pedro soares ha-de sugar tudo o que puder do belenenses, e ha-de deixa-lo com milhoes de euros em divida. mas tudo bem, o proximo que venha que continue a gerir a divida do clube

pub