Media Trump iniciou uma "guerra dos factos". Quem ganha?

Trump iniciou uma "guerra dos factos". Quem ganha?

No primeiro fim-de-semana enquanto Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump assumiu a guerra com os órgãos de comunicação social. A equipa juntou-se e diz que a Casa Branca está a mostrar “factos alternativos”. “Um mundo novo”, diz quem já lá esteve.
Trump iniciou uma "guerra dos factos". Quem ganha?
Reuters
Wilson Ledo 23 de janeiro de 2017 às 21:04
Ao primeiro dia, Donald Trump assume a "guerra aberta" com os órgãos de comunicação. Numa visita à CIA, não hesita em chamá-los "desonestos". Os ecos ouvem-se na Casa Branca.

No primeiro encontro, o responsável para a imprensa dá conta que a tomada de posse de Trump foi a mais concorrida de sempre. Sean Spicer tinha já sido confrontado com imagens de 2009, quando Barack Obama assumiu o poder. Manipulação, respondeu.

Kellyanne Conway, que geriu a campanha republicana, classifica, na NBC,  os argumentos de Spicer de "factos alternativos".  Junta-se o chefe de pessoal da Casa Branca, Reince Priebus, porque os media só querem "deslegitimar" Trump.

E a verdade, onde fica? Para Vítor Gonçalves, correspondente da RTP em Washington entre 2007 e 2011, "Trump está a disputar a verdade dos factos". Se com a administração Obama, o "acesso, dos jornalistas, à informação foi limitado" – com o Presidente a privilegiar programas de entretenimento –, Trump traz "um mundo novo".

A disputa jornalistas-Casa Branca não é nova "mas este tipo de animosidade não tem precedentes nos Estados Unidos", posiciona Marta Dhanis. A jornalista portuguesa a trabalhar na Fox News recorda que Trump soube tirar partido da "extensa cobertura" mediática. "A esperança era de que este comportamento hostil mudasse" na presidência, conta. Até porque o homem escolhido para lidar com a imprensa, Sean Spicer, tem uma "extensa carreira, é conhecido e muito respeitado pelos jornalistas norte-americanos". "O papel dos media está, sem dúvida, ameaçado" pela "tirania da administração Trump", diz a também correspondente da TVI.

Nesta "guerra de factos" ficam Trump e a sua equipa a ganhar ou a perder? Tudo depende da visão. Como diz o The Globe and Mail: se o novo Presidente fica em xeque por mentir em assuntos mínimos como a dimensão de uma multidão, o que esconderá em questões de terrorismo ou relações diplomáticas?

Por outro lado, ao questionar a credibilidade dos media enquanto poder instituído, como na campanha, Trump pode reforçar a sua posição junto da classe apoiante – como referem o jornal online Vox e o jornalista Vítor Gonçalves.

Certo é que jornais como o The New York Times ou The Washington Post  admitem ser urgente alterar a cobertura presidencial: menos citação directa, mais investigação.



A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo 24.01.2017

Este artigo esta-me a pedir para que eu nao acredite jamais no que os jornalistas dizem ou escrevem ; sera' isso? espero que nao; um jornalista que nao e' neutro e que mente, nao e' JORNALISTA; e" um aldrabao!!

comentários mais recentes
Anónimo 24.01.2017

Este artigo esta-me a pedir para que eu nao acredite jamais no que os jornalistas dizem ou escrevem ; sera' isso? espero que nao; um jornalista que nao e' neutro e que mente, nao e' JORNALISTA; e" um aldrabao!!

Anónimo 24.01.2017

http://imgur.com/uRNE0YI Quando é que a comunicação social no ocidente vai reportar o que realmente está a acontecer na Syria. Tenham vergonha.
https://www.youtube.com/watch?v=g1VNQGsiP8M

Anónimo 23.01.2017

É preciso pôr ordem na casa. .existe muita gente que pensa que pode fazer tudo.para esses são necessárias medidas que os ponham na lei.quem se sentir mal, muda-se.

pub
pub
pub
pub