Automóvel Trump vai cortar as regulamentações ambientais. Mas garante que é "um ambientalista"

Trump vai cortar as regulamentações ambientais. Mas garante que é "um ambientalista"

Numa reunião com os directores executivos da Ford, Fiat Chrysler e General Motors, Donald Trump garantiu que irá remover os obstáculos não só às construtoras automóveis como também às petrolíferas.
Trump vai cortar as regulamentações ambientais. Mas garante que é "um ambientalista"
Reuters
Rita Faria 24 de janeiro de 2017 às 18:28

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse esta terça-feira, 24 de Janeiro, aos responsáveis de três das maiores fabricantes automóveis do país que as regulamentações ambientais estão "fora de controlo" e que, por isso mesmo, irá remover obstáculos não só às construtoras como também às petrolíferas.

 

O recém-empossado chefe de Estado esteve reunido esta terça-feira, para um pequeno-almoço de negócios, na Casa Branca, com os presidentes executivos da Ford, General Motors e Fiat Chrysler, o mais recente de uma série de encontros com empresários, com o objectivo de impulsionar o sector industrial no país. O fim da reunião foi anunciado pelo próprio presidente, no Twitter, numa publicação onde refere que juntos, "vão tornar a América grande novamente".

 

De acordo com a Bloomberg, Mark Fields, Mary Barra e Sergio Marchionne, directores executivos da Ford, General Motors e Fiat Chrysler, respectivamente, o novo líder da Casa Branca garantiu ser "um ambientalista", ainda que considere que as regras, neste âmbito, já foram longe de mais.

 

"Eu sou, em grande medida, um ambientalista", afirmou Trump. "Acredito nisso. Mas as coisas estão fora de controlo".

 

O encontro com alguns dos protagonistas da indústria automobilística acontece um dia depois de Trump ter retirado os Estados Unidos da Parceria TransPacífico – alegando que o acordo penalizaria os trabalhadores norte-americanos – e de ter garantido a um conjunto de empresários que a sua administração poderá cortar a regulação em 75% "ou talvez mais". 

"Vamos tornar o processo muito mais simples para as petrolíferas e para todos os que querem fazer negócios nos Estados Unidos", garantiu Trump aos fabricantes automóveis esta terça-feira.

 

Antes da reunião, o presidente já havia anunciado no Twitter que queria novas fábricas construídas nos Estados Unidos, para carros vendidos no país.

 

As fabricantes automóveis têm sido um dos alvos preferenciais de Donald Trump, que tem feito pressão para que as empresas mantenham empregos no país e cancelem os seus planos de investir em unidades de produção no exterior.

 

Nesta altura, as acções da Ford sobem 1,74% para 12,52 dólares, na bolsa de Nova Iorque, a General Motors ganha 1,30% para 37,12 dólares e a Fiat Chrysler dispara 6,52% para 10,95 dólares. 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
luis alves Há 1 dia

A eleiçao desta criatura prova duas coisas:
1- A democracia nao e um sistema perfeito
2- Os EUA sao na realidade uma terra de oportunidades....

CaTu Há 1 dia

... e depois vai obrigar os americanos a comprar todos os carros produzidos no país ... estamos numa realidade alternativa...

antonio silva Há 1 dia

SR. Trump a América não pode ser a RPC onde o Sol já não brilha.

O Q.I. do Trampas deve ser equiparado ao de galinh Há 1 dia

O homem tem mesmo cara de atrasado mental.

pub
pub
pub
pub