Banca & Finanças Trump vai reverter regras de Obama para o sector financeiro

Trump vai reverter regras de Obama para o sector financeiro

O presidente dos Estados Unidos vai suspender a regra fiduciária que obrigaria os gestores de activos a trabalharem para o melhor interesse dos clientes e ordenar uma revisão da lei Dodd-Frank para o sector financeiro.
Trump vai reverter regras de Obama para o sector financeiro
Rita Faria 03 de fevereiro de 2017 às 07:57

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, vai dar cumprimento esta sexta-feira, 3 de Fevereiro, à sua promessa de aliviar a regulação do sector financeiro, através de duas ordens executivas para reverter medidas da administração Obama.

Em primeiro lugar, vai travar a chamada regra fiduciária – uma regra que exige que as empresas que gerem as poupanças para a reforma trabalhem para o melhor interesse dos seus clientes – que entraria em vigor em Abril. A administração Obama defendia que esta regra iria proteger milhões de reformados de serem direccionados para investimentos inapropriados, envolvendo grandes riscos ou custos, que geram mais lucros para as corretoras.

Desde que foi aprovada pelo Departamento do Trabalho, no ano passado, a medida enfrentou uma forte oposição de bancos, gestoras de activos e seguradoras  que alegam que a regra aumentaria os custos de prestar aconselhamento e tornaria mais difícil servir os clientes com baixos rendimentos.

Além disso, o presidente dos Estados Unidos vai ordenar uma revisão das leis de Dodd-Frank, promulgadas em resposta à crise financeira de 2008.

Na segunda-feira, Trump defendeu que esta legislação penalizou o "espírito empreendedor" do país e o acesso ao crédito. "O regulamento foi realmente horrível para as grandes empresas, mas tem sido pior ainda para as pequenas empresas", disse o presidente. "Dodd-Frank é um desastre".

Segundo avança a Bloomberg, citando um responsável da Casa Branca, as duas ordens serão assinadas esta sexta-feira pelo presidente, após uma reunião com mais de uma dezena de empresários, entre os quais o CEO da Blackstone Steve Schwarzman.

De acordo com o responsável da Casa Branca, a revisão da legislação de Dodd-Frank incluirá mudanças de pessoal nos reguladores financeiros como forma de cumprir os objectivos da nova administração.

Questionado sobre se Trump iria retirar Richard Cordray do cargo de director do gabinete de protecção financeira do consumidor, o responsável respondeu apenas que a nova administração acredita que algumas das regras criadas no âmbito da legislação de Dodd-Frank podem ter sido inconstitucionais, incluindo a criação de algumas agências. 


A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Criador de Touros 03.02.2017

Nestas medidas dou 10 em 20 a Trump, para já, quero ver melhor este assunto nos próximos dias. Mas dou, para já, 18 em 20 à protecção da Ukrânia contra a Rússia. Que agradável surpresa esta medida !!...E o Criador de Touros, mais uma vez, a bater todos os jornais nacionais em atenção ao que interessa !!; )Vejam a Reuters

fa 03.02.2017

Agora já percebi. O Trump esteve a fazer estágio em Portugal com o Costa e a Geringonça

pub
pub
pub
}
pub