Comércio Tupperware "encaixa" 1.250 mulheres no Porto

Tupperware "encaixa" 1.250 mulheres no Porto

A marca americana escolheu a Casa da Música para o encontro anual em que vai premiar os campeões de vendas deste ano e preparar a estratégia para 2017. Em Portugal tem cerca de 12 mil vendedores e uma fábrica.
Tupperware "encaixa" 1.250 mulheres no Porto
António Gil lidera as operações da Tupperware em Portugal e em Espanha.
Bruno Simão
António Larguesa 07 de dezembro de 2016 às 14:51

Mais de 1.250 pessoas, "na sua grande maioria mulheres", vão participar na conferência anual da Tupperware Portugal agendada para sábado, 10 de Dezembro, na Casa da Música.

 

Com o objectivo de premiar os campeões de vendas deste ano e preparar a estratégia para 2017, o encontro da multinacional americana vai trazer ao Porto os empreendedores e os líderes de negócio e de vendas da marca em Portugal.

 

A mega reunião serve também para "preparar o mês de Janeiro", que é tradicionalmente o mais forte e chega a representar 30% do total de vendas anual. É que, por estratégia de marketing, é neste período a seguir ao Natal que é feito o "lançamento de produtos importantes e acções promocionais extremamente agressivas".

 

Em declarações ao Negócios, o director-geral para Portugal e Espanha explicou que a decisão surgiu há várias décadas nos EUA e passou a fazer parte da cultura e tradição da empresa, sendo um mês em que "a força de vendas já espera algo de especial". "Começar o ano a ganhar é sempre excelente, dá um impulso importantíssimo para o resto do ano", resumiu António Gil, um adepto da gestão participativa.

 
Como o Negócios noticiou em Maio, as vendas da Tupperware em Portugal voltaram a aumentar de intensidade no ano passado, depois do abrandamento do crescimento registado em 2014, quando a percentagem de progressão (10%) caiu para metade face ao ano anterior. Os dados oficiais mostram que em 2015 as vendas aceleraram novamente, registando uma subida homóloga de 15% que se manteve no primeiro trimestre deste ano.

A Tupperware tem perto de 12 mil demonstradores em Portugal, que são a força de vendas da empresa. O perfil oscilou desde o início da crise: passou a atrair mais jovens – a idade média já está abaixo dos 40 anos – e homens, embora elas representem ainda cerca de 90% do total. A maioria busca um segundo trabalho e rendimento extra, mas houve um "aumento substancial", sobretudo de jovens, que tornou esta a sua principal ocupação e uma aposta de carreira.

 

Ao nível industrial, a marca conhecida pelas caixas de conservação, congelação e transporte de alimentos – embora actualmente representem apenas 20% do negócio – tem há 37 anos em funcionamento uma fábrica com perto de 400 trabalhadores em Constância, no distrito de Santarém. É a segunda maior unidade industrial do grupo a nível mundial e exporta a quase totalidade da produção para os mercados europeus.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub