Turismo & Lazer Turismo britânico continua a crescer, apesar da preocupação com 'Brexit'

Turismo britânico continua a crescer, apesar da preocupação com 'Brexit'

O turismo britânico em Portugal continua a crescer e sem sentir efeitos da incerteza que envolve o 'Brexit', afirmou hoje a secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho.
Turismo britânico continua a crescer, apesar da preocupação com 'Brexit'
Miguel Baltazar/Negócios
Lusa 06 de julho de 2017 às 19:05
"Os números para o mercado britânico são bastante satisfatórios, apesar do 'Brexit', que gerava alguma incerteza sobre os resultados. A verdade é que estamos com um crescimento do mercado britânico para Portugal muito significativo", disse hoje a secretária de Estado à agência Lusa em Londres, onde esteve reunida com operadores e representantes de companhia aéreas.

Segundo as estatísticas mais recentes, relativas ao período de janeiro a abril de 2017, houve um aumento de 9% em número de hóspedes e 13,5% do volume de receitas face ao período homólogo de 2016.

Este desempenho representa "um grande crescimento na época baixa, o que é muito interessante e que está associado ao aumento da capacidade aérea instalada para Portugal, nomeadamente no Algarve".

Além da região sul do país, Lisboa foi outro dos destinos com maior procura dos britânicos.

A secretária de Estado do Turismo (na foto) esteve na capital britânica para fazer uma avaliação do comportamento do mercado com operadores, que se mostram preocupados com o potencial impacto da saída do Reino Unido da União Europeia (´Brexit').

A informação que recebeu foi que, "neste momento, ainda não se sente abrandamento do mercado para Portugal", que continua a ser um dos principais destinos dos britânicos, apesar da desvalorização da libra face ao euro em cerca de 10% desde 2016.

Por enquanto, revelou, nota-se apenas um adiamento das decisões de reservas para mais perto da data de viagem, mas esse comportamento ainda não se refletiu numa quebra do mercado britânico.

Uma boa evolução é que o turismo britânico está a crescer mais em receita do que em número de turistas, o que significa que estão a visitar Portugal segmentos de pessoas que gastam mais nas suas visitas.

A governante soube também que existem "perspetivas bastante boas para o inverno de 2017", com previsões de crescimento que variam entre 10 a 30%, e "boas perspetivas para 2018".

É importante "acompanhar, antecipar e garantir que estamos com os operadores e companhias a desenvolver as campanhas necessárias para garantir que este crescimento continua a acontecer", afirmou Ana Mendes Godinho.

Em breve serão organizadas viagens de operadores a destinos menos consolidados, como o Alentejo, Norte, Açores e Centro interior do país, no sentido de diversificar a oferta geográfica e fora da época alta.

Vai também ser feita mais divulgação de atividades, como ciclismo e caminhadas, surf e cultura.



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 07.07.2017

Está de acordo com as minhas previsões. O turismo que vem para Portugal está muito baseado no low cost quando comparado com outros da orla mediterrânica. Com a desvalorização da libra e a instabilidade brexit muitos deixam de ter capacidade para vir para Portugal, mas em simultâneo muitos do que iam antigamente para destinos mais caros (França Itália, Grécia e mesmo outros destinos mundiais) acabam por optar por Portugal como um destino dentro das suas possibilidades. Portugal em matéria de turismos é um bem de Giffen.

Saber mais e Alertas
pub