Telecomunicações Turistas britânicos vão ter de pagar roaming após o Brexit

Turistas britânicos vão ter de pagar roaming após o Brexit

O roaming vai acabar em meados de Junho, mas os britânicos deverão voltar a pagar estes custos quando a saída da União Europeia estiver concluída.
Turistas britânicos vão ter de pagar roaming após o Brexit
Neil Hall/Reuters
Negócios 07 de fevereiro de 2017 às 11:03
O Brexit vai obrigar os turistas britânicos a pagarem roaming quando viajarem nos países da União Europeia. Apesar do roaming ter o fim previsto para meados de Junho deste ano, caso o Governo britânico não chegue a acordo com Bruxelas, os britânicos vão ter de pagar mais a partir de 2019, com a saída da União Europeia.

A notícia é avançada pelo jornal The Guardian, que teve acesso a um documento do comité de indústria, investigação e energia do Parlamento Europeu.

Desta forma, a regulação europeia sobre roaming "não se vai aplicar em relação ao Reino Unido, impactando viajantes em trabalho e outros que viajam do e para o Reino Unido", e que será necessário um "regime transitório", segundo o documento.

A partir de 15 de Junho de 2017, quem viajar dentro da União Europeia terá os mesmos preços do que os praticados no seu país, tal como definido pela Comissão Europeia.

Os novos preços grossistas - o que os operadores pagam uns aos outros - serão aplicados a partir de 15 de Junho, a tempo dos operadores, diz a Comissão, se preparem para o fim das tarifas de "roaming".

Mas com o Brexit à vista - com data marcada para 2019 - as tarifas de roaming deverão voltar a ser pagas pelos britânicos no futuro próximo. Segundo dados de 2014, antes do roaming começar a ser reduzido, 20% dos viajantes britânicos pagavam uma factura superior ao normal quando viajavam no Reino Unido, pagando em média mais 61 libras (70,7 euros ao câmbio actual) do que o habitual, com 17% pagarem facturas superiores a 100 libras (116 euros).

"O Brexit está a ir ao bolso dos consumidores, desde o custo da alimentação, combustíveis e factura de telemóveis. As famílias não deviam pagar o preço pelos planos imprudentes deste governo para o Brexit", disse o líder do partido Liberais Democratas, Tim Farron.

"Theresa May deve lutar para nas negociações manter os benefícios dos consumidores britânicos como custos reduzidos de roaming", defendeu, citado pelo Guardian.

A sua opinião3
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Vitor 07.02.2017

Se os britânicos soubessem que teriam de pagar roaming não teriam querido sair. Portugal, por exemplo, tem no roaming a verdadeira meta de pertencer à UE. Que seria dos países se tivessem de pagar roaming? Nem quero pensar na miséria que aí vinha.

alfa 07.02.2017

impactando ? Acordo Ortho Gráphico?

Camponio da beira 07.02.2017

Esta "operação" vai custar caro aos ingleses. Agora imaginem que algum lunatico se lembrava de fazer o mesmo em Portugal? No dia seguinte deixavam de nos emprestar dinheiro para pagar os salarios da função publica e era o caos.

pub
pub
pub
pub