Media Twitter prevê primeiros lucros na recta final do ano

Twitter prevê primeiros lucros na recta final do ano

A dona da rede social com o mesmo nome melhorou as perdas no terceiro trimestre em relação ao mesmo período de 2016. E diz que, se se materializarem as previsões de EBITDA, pode ter o primeiro lucro de sempre entre Outubro e Dezembro.
Twitter prevê primeiros lucros na recta final do ano
Bloomberg
Paulo Zacarias Gomes 26 de outubro de 2017 às 12:44

A rede social Twitter terminou o terceiro trimestre com perdas de 21 milhões de dólares, um progresso face aos 116,5 milhões de dólares negativos registados no trimestre anterior e também um registo melhor do que o do trimestre homólogo de 2016, em que as perdas tinham sido de 102,87 milhões de dólares.


De acordo com as contas dadas a conhecer esta quinta-feira, 26 de Outubro, a empresa espera que a evolução na fase final deste ano possa levar aos primeiros lucros na recta final do ano. 

"Para o quarto trimestre (...) esperamos que [atingindo] o topo do nosso intervalo de EBITDA ajustado [que se prevê entre 220 e 240 milhões de dólares], provavelmente seremos rentáveis," lê-se no outlook de resultados. 

No período entre Julho e Setembro, a empresa liderada por Jack Dorsey teve um volume de negócios de 589,6 milhões de dólares, melhor do que os 587 milhões previstos pelo mercado, mas abaixo dos 615,9 milhões registados no mesmo trimestre de 2016. O EBIDTA ajustado neste intervalo foi de 207 milhões de dólares.

Além das contas do terceiro trimestre, a empresa reconheceu ter encontrado um erro na forma como era calculada a sua base de utilizadores, um problema que remonta a 2014 mas que refere ter tido um impacto marginal, inferior a 1% da contabilização.

A empresa contabilizou 330 milhões de utilizadores activos no terceiro trimestre - em linha com o esperado pelo mercado -, mais quatro milhões do que no trimestre anterior. Nos EUA, o número de utilizadores cresceu um milhão entre trimestres, para os 69 milhões. 

As acções do Twitter disparam 9,10% em pre-market, para 18,70 dólares.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
Saber mais e Alertas
pub