Tecnologias Twitter suspende a conta do... seu CEO

Twitter suspende a conta do... seu CEO

Durante cerca de 30 minutos, o co-fundador e CEO do Twitter, Jack Dorsey, teve a sua conta suspensa no Twitter. O responsável apontou que se tratou de "um erro interno" Há dias o Facebook “matou” Mark Zuckerberg.
Twitter suspende a conta do... seu CEO
Bloomberg
Ana Laranjeiro 23 de Novembro de 2016 às 11:36

Jack Dorsey é um dos fundadores do Twitter e, actualmente, o CEO da empresa. Na noite desta terça-feira, 22 de Novembro, aconteceu algo pouco comum. Durante cerca de 30 minutos, a conta de Dorsey (na foto) esteve suspensa nesta rede social. A notícia foi avançada por vários órgãos de comunicação internacionais. Após a suspensão, o fundador acabou mesmo por confirmar que a sua conta esteve suspensa, tendo feito um "tweet" onde salienta que está a "configurar a sua conta… novamente" e que "a suspensão da conta tratou-se de um erro interno", sem dar mais esclarecimentos.

Como explica o Wall Street Journal, os utilizadores desta rede social podem desactivar as suas contas mas apenas o Twitter as pode suspender. As contas são suspensas quando os utilizadores assinalam alguma conta e a rede social considera que através destas está a ser enviado spam ou "tweets" abusivos. Além disso, refere a mesma fonte, caso haja suspeitas que uma conta foi pirateada ou comprometida o Twitter também a suspende.


Recentemente, o Twitter tem sido mais activo na suspensão de contas que violem as suas regras. No passado dia 16 de Novembro, foi noticiado que o Twitter suspendeu algumas contas associadas ao movimento extremista alt-right [direita alternativa]. Entre as contas que foram suspensas está a de Richard Spencer – tido como líder deste movimento -, Pax Dickinson, Ricky Vaughn e John Rivers, de acordo com a Bloomberg, que cita o jornal norte-americano USA Today. Além disso, a conta do National Policy Institute, que é presidido por Spencer, e da revista Radix Journal, liderada igualmente por Spencer, foram também suspensas.

A porta-voz do Twitter, num comunicado por email e citado pela Bloomberg emitido no dia 16, salientou "que as regras do Twitter proíbem as ameaças violentas, assédio, condutas que levem ao ódio" e abusos. Sendo que a rede social "vai tomar acções em relação às contas que violem estas políticas".

Facebook declarou Zuckerberg morto… por engano


Como recorda o TechCrunch, também neste mês de Novembro o Facebook "matou" o seu fundador Mark Zuckerberg. Um artigo do The Guardian de 11 de Novembro explica que uma falha no Facebook foi responsável pela "morte" de milhões de utilizadores. Uma falha que atingiu também Zuckerberg.


O Facebook apressou-se a pedir desculpa pela falha em questão e explicou que o erro está relacionado com o protocolo desta rede social para "homenagens" nas páginas dos utilizadores quando, de facto, morrem.

"Durante um curto período de tempo do dia de hoje [11 de Novembro], uma mensagem para páginas de homenagem foi por erro colocada em outras contas. Foi um erro terrível que já resolvemos. Pedimos muita desculpa pelo que aconteceu e estamos a trabalhar o mais rápido possível para solucioná-lo", disse uma porta-voz do Facebook, citada pelo The Guardian.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub