Transportes Uber e Bell Helicopter terão os primeiros táxis aéreos até 2025

Uber e Bell Helicopter terão os primeiros táxis aéreos até 2025

A Bell Helicopter, que se associou à Uber Technologies para revolucionar o transporte de massa, espera oferecer os primeiros táxis aéreos da parceria na metade da próxima década, segundo um executivo da unidade da Textron.
Uber e Bell Helicopter terão os primeiros táxis aéreos até 2025
Reuters
Bloomberg 10 de fevereiro de 2018 às 17:12

"O táxi aéreo é o próximo caminho do nosso sector e é muito importante para nós garantir que estejamos entre os revolucionários que pensam como devem ser os transportes nos próximos 10 ou 20 anos", disse Patrick Moulay, vice-presidente executivo para vendas de helicópteros comerciais, em entrevista á Bloomberg. "Não veremos um táxi a voar amanhã, mas isto está muito mais próximo do que as pessoas pensam."

 

A Uber revelou os passos iniciais da sua visão para as viagens aéreas no ano passado ao anunciar cinco empresas parceiras com especialidades variadas com o objectivo de tornar acessível e comum um meio de transporte sempre presente na ficção científica. Os testes iniciais são esperados para 2020 em Dallas e Dubai, duas cidades congestionadas de automóveis nas quais os interesses da aviação exercem grande influência.

 

Em países como a Indonésia e em Nova Iorque, a tecnologia já existe, e alguns clientes usam uma aplicação para reservar helicópteros, disse Moulay. "Quanto ao táxi aéreo, acreditamos que até meados da década de 2020, ou 2025, estaremos a voar, veremos as primeiras aeronaves no ar", disse no Salão Aeronáutico de Singapura.

 

Fundada em 1935 como Bell Aircraft, a empresa com sede em Fort Worth, no Texas, EUA, entregou mais de 35.000 aeronaves a clientes de todo o mundo, segundo o seu site. A companhia tem plantas adicionais em Amarillo, no Texas, e em Mirabel, no Canadá.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
General Ciresp 10.02.2018

Se a crise de 2008 superou todas as anteriores ate 1920 aproximadamente,a q vai completar o seculo vai ser a rainha de todas elas.Se nao for entretanto encontrado uma maneira de fazer desaparecer as dividas dos paises,ou pelo menos parte substancial dela,vai ser bonito.Com e q os portugas vivem enga

pub