Transportes Uber fecha trimestre com prejuízos apesar de subida das receitas

Uber fecha trimestre com prejuízos apesar de subida das receitas

De acordo com os números avançados pelo The Guardian, a plataforma electrónica de transporte fechou os primeiros nove meses do ano com receitas de 5,5 mil milhões de dólares mas perdas de 2,2 milhões.
Uber fecha trimestre com prejuízos apesar de subida das receitas
Pedro Catarino/Correio da Manhã
Negócios 20 de dezembro de 2016 às 15:39

Nos primeiros nove meses de 2016, a plataforma digital de reserva de transporte Uber apresentou prejuízos de 2,2 mil milhões de dólares (2,1 mil milhões de euros, à cotação actual), tendo registado 800 milhões de euros em perdas só no terceiro trimestre do ano.

Os valores são avançados pelo jornal The Guardian, que cita o site The Information e salienta a performance negativa da companhia, mesmo que as receitas tenham aumentado nos primeiros nove meses do ano para 5,5 mil milhões de dólares, contra 3,76 mil milhões um ano antes. 

Os passageiros gastaram 5,4 mil milhões de dólares no terceiro trimestre, acima dos 5 mil milhões registados no trimestre anterior, e dos 3,8 mil milhões entre Janeiro e Março.

Após o pagamento aos seus condutores, as receitas entre Julho e Setembro eram de 1,7 mil milhões de euros, valor acima dos 1,1 mil milhões registados no trimestre anterior.

A quebra financeira da Uber surge num contexto em que a empresa norte americanase fundiu com a principal concorrente, a Didi, no mercado chinês, deixando de operar na segunda maior economia do mundo.

No passado mês de Outubro, a empresa viu-se a braços com um caso em tribunal no Reino Unido. Em causa esteve a reivindicação de direitos laborais por parte de dois motoristas

Recentemente, a companhia teve de enfrentar as autoridades californianas nos primeiros passos para o lançamento do seu serviço de veículos autónomos em São Francisco






A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo 20.12.2016

QUE CHATICE!
AO MENOS OS TAXISTAS CONTINUAM A PAFAR IMPOSTOS!

pub