Banca & Finanças Ulrich: "Todas as condições para a OPA estão reunidas"

Ulrich: "Todas as condições para a OPA estão reunidas"

O CEO do BPI referiu, no final da assembleia-geral em que foi aprovada a venda de 2% do BFA, que se entrou numa fase "de execução" e que não há mais nada para negociar.
Ulrich: "Todas as condições para a OPA estão reunidas"
Paulo Duarte/Negócios
Alexandra Noronha 13 de Dezembro de 2016 às 17:34

Dois anos depois, o BPI conseguiu finalmente aprovar uma solução para a exposição excessiva a Angola, que o Banco Central Europeu apontava como sendo crítica para o banco. E agora pode seguir a oferta pública de aquisição (OPA) dos catalães do CaixaBank à instituição portuguesa.

"
Todas as autorizações de que o CaixaBank necessitava para a da OPA estão preenchidas e é uma questão de execução. Não tenho conhecimento do calendário", referiu o CEO do BPI, Fernando Ulrich. 

O gestor garantiu ainda que as "dívidas de Angola nas várias frentes estão resolvidas" depois de dois dias em que se sucederam os comunicados a dar conta de pagamentos e autorizações. "O vendedor não entrega o bem que vende sem o valor a que tem direito. A verba que está em causa [28 milhões] não se põe em causa. A empresa Unitel é muito grande", salientou Ulrich, questionado sobre potenciais atrasos na transferência dos montantes pela venda dos 2%. 

"Já disse que isto ia ser como na União Europeia, com negociações demoradas, mas no fim chegámos a uma conclusão positiva", salientou Fernando Ulrich, enquanto explicava as informações que o banco prestou ao mercado antes desta AG, que foi suspensa no dia 23 de Novembro, porque o CaixaBank queria certezas do BCE quanto à solução. O CEO do banco acredita ainda que a autorização para a transferência de dividendos do BFA relativos a 2014 deverá ser autorizada por Angola nos próximos dias. O pagamento dos dividendos de 2015 já foi autorizado.  

O capital presente na AG foi de 84%, sendo que desse universo 76% abstiveram-se de votar. 

 

"Vamos continuar em frente poderemos estar ainda mais foçados nos clientes e negócios. Mas isto teve impacto num número muito restrito de pessoas. O BPI continua bem e ficará ainda mais forte", salientou Fernando Ulrich. 

 




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 6 dias

Recusaste tu, o sonso do Santos Silva, o iluminado do Domingues uma OPA a mais de sete euros do BCP e agora vais vender o banco por um euro por accao. E ninguem processa te? Mansinhos dos teus accionistas. Aguentam tudo.

Oh sr fernando Há 6 dias

Vá tirar uma licenciatura seu parolo.

pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub