Banca & Finanças Unicredit acordou vender a Pioneer por mais de quatro mil milhões

Unicredit acordou vender a Pioneer por mais de quatro mil milhões

O Unicredit terá fechado este domingo a venda da gestora de activos Pioneer por um valor mais elevado do que estava a ser antecipado. A compradora foi a francesa Amundi.
Unicredit acordou vender a Pioneer por mais de quatro mil milhões
Bloomberg
Sara Antunes 11 de dezembro de 2016 às 22:47

O Unicredit, o maior banco italiano, terá concluído o acordo de venda da gestora de aactivos Pioneer por mais de quatro mil milhões de euros, de acordo com a Reuters, que cita uma fonte próxima do processo. A confirmação do negócio só deverá acontecer na segunda-feira.

 

A compradora foi a francesa Amundi, com quem o Unicredit estava em negociações exclusivas.

 

Desde a semana passada que foi noticiado que o Unicredit estava a negociar a venda desta gestora, sendo que os valores que foram noticiados rondavam os 3 a 3,5 mil milhões de euros.

 

A diferença de valores poderá estar no pagamento de um dividendo especial ao Unicredit no valor de 500 milhões de euros.

 

A venda da Pioneer insere-se num plano de recapitalização que o Unicredit está a encetar. O maior banco italiano quer afastar-se do Monte dei Paschi, que chumbou nos testes de stress e poderá ter de ser alvo de um resgate público caso não consiga recapitalizar-se até ao final do ano em cinco mil milhões de euros.

 

Na semana passada, o Financial Times revelava que o Unicredit estava a preparar o plano de recapitalização, que incluía a venda de activos, para o apresentar no próximo da 13 de Dezembro, ou seja, a próxima terça-feira. O plano, de acordo com o FT, tinha como objectivo recapitalizar o banco italiano em cerca de 13 mil milhões de euros.

 

Já na quinta-feira o Unicredit tinha anunciado a venda de 32,8% que detinha no banco polaco Pekao, por mil milhões de zlotys (2,4 mil milhões de euros) à seguradora PZU e ao fundo de desenvolvimento polaco.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub