Banca & Finanças Unicredit desliza em bolsa após prever prejuízos de 11,8 mil milhões

Unicredit desliza em bolsa após prever prejuízos de 11,8 mil milhões

As acções do Unicredit já estiveram a descer mais de 4%, a reflectir o alerta que emitiu ontem sobre os seus resultados de 2016. Os prejuízos deverão ascender a 11,8 mil milhões de euros, devido ao aumento de provisões para malparado e imparidades.
Unicredit desliza em bolsa após prever prejuízos de 11,8 mil milhões
Bloomberg
Sara Antunes 31 de janeiro de 2017 às 12:09

O Unicredit está a descer 1,53% para 25,80 euros, tendo chegado a descer 4,39% para 25,05 euros, o que corresponde ao valor mais baixo desde 13 de Dezembro.

 

A queda das acções é um reflexo do anúncio feito na segunda-feira, 30 de Janeiro, pelo banco italiano.

O Unicredit deverá ter registado um prejuízo de 11,8 mil milhões de euros em 2016, depois de ter contabilizado um valor superior para fazer face a crédito malparado e a custos relacionados com o plano de recuperação que o banco tem.

 

O maior banco italiano aumentou em mil milhões de euros o montante de provisões, que se situava em 12,2 mil milhões, para cobrir perdas com a unidade de investimento Atlante Funds.

 

Os resultados do Unicredit serão apresentados no dia 9 de Fevereiro, revela a Bloomberg.

 

As quedas das acções estão relacionadas também com o facto de o banco ter revelado que terá terminado o ano com rácios de solvabilidade que não cumprem as exigências do Banco Central Europeu (BCE).

 

O Unicredit tem um plano de recapitalização, no montante total de 13 mil milhões de euros. 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar