Banca & Finanças Unidades de participação do Montepio vão acabar
Assinatura Digital. Negócios Primeiro Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE

Unidades de participação do Montepio vão acabar

Há três anos chegaram à bolsa as primeiras unidades de participação do Montepio. Vieram depois novas. Subiram ao PSI-20 mas têm os dias contados. Ou são transformadas em acções, ou reembolsadas.
Unidades de participação do Montepio vão acabar
Pedro Elias
Diogo Cavaleiro 15 de dezembro de 2016 às 00:01

"Quando aprovámos aquele instrumento, aprovámos com muitas reservas. Penso que um cliente que não tinha possibilidade de arriscar não devia, nunca, ter subscrito aquelas unidades de participação". São palavras )

Assinatura Digital. Negócios Primeiro
Para ler tudo faça LOGIN ou ASSINE
Análise, informação independente e rigorosa.
Para saber o que se passa em Portugal e no mundo,
nas empresas, nos mercados e na economia.
  • Inclui acesso ao ePaper, a versão do Negócios tal como é impresso em papel. Veja aqui.
  • Acesso ilimitado a todo o site negocios.pt
  • Acesso ilimitado via apps iPad, iPhone, Android e Windows
Saiba mais



A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
JCG 15.12.2016

As citadas palavras de Carlos Tavares são patéticas. Se tinha reservas não devia pura e simplesmente ter autorizado a emissão.
Entre os vários chefes de organimos de supervisão e de regulação conhecidos nas últimas décadas parece que só dois levaram a coisa a sério: o tipo da ASAE de que já não me lembra o nome, creio que António Nunes, e Abel Mateus na autoridade de concorrência. Mas por isso, rapidamente foram clasificados de incómodos e por isso foram substituidos por verbos de encher, por farsantes, por oportunistas que vêm nos cargos apenas um instrumento de promoção pessoal e de eventual fonte de enriquecimento através das "boas" relações que criam com os DDT.

Notícias só para Assinantes
Exclusivos, análise, informação independente e credível. Para saber o que se passa em Portugal e no mundo, nas empresas, nos mercados e na economia. Inclui acesso à versão ePaper.
Mais uma forma de ler as histórias
da edição impressa do Negócios.
Se ainda não é Assinante Saiba mais
pub