Banca & Finanças Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos

Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos

O ex-administrador da CGD entre 2005 e 2007 vai falar aos deputados na próxima semana. Depois da audição a Armando Vara, os trabalhos serão suspensos à espera dos documentos pedidos aos reguladores.
Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos
Pedro Aperta
Diogo Cavaleiro 16 de março de 2017 às 15:37

Armando Vara é chamado para prestar depoimento na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos na próxima semana. Esta é uma decisão saída da reunião de deputados coordenadores que teve lugar esta quinta-feira, 16 de Março.

 

A audição ao antigo administrador da CGD, que esteve no cargo entre 2005 e 2007, foi decidida pelos deputados mas ainda carece de confirmação junto do próprio. Vara é chamado pelo seu mandato que está também a ser investigado na Operação Marquês onde, segundo tem difundido alguma imprensa, o seu papel enquanto administrador do banco público foi determinante na concessão de créditos, como Vale do Lobo. 

 

O administrador do banco público na época de Carlos Santos Ferreira, que já foi ouvido pelos deputados, acontece antes da suspensão dos trabalhos da comissão de inquérito. Os deputados querem interromper o inquérito à espera da decisão do Supremo Tribunal de Justiça em relação aos documentos que a Caixa, o Banco de Portugal, a CMVM e o Ministério das Finanças não querem entregar aos deputados, entre os quais a lista dos maiores créditos concedidos pelo banco público.

"[Enquanto isso] esperamos que, sinceramente, as entidades judiciais se pronunciem, nomeadamente, o Supremo", frisou aos jornalistas o deputado social-democrata Emídio Guerreiro, que preside à comissão, após a reunião dos deputados coordenadores.

 

A suspensão dos trabalhos deverá decorrer até 5 de Maio. Mas também haverá uma nova extensão do prazo por 30 dias. Os trabalhos tinham prazo até ao final de Março, pelo que, com a suspensão e com mais um mês para funcionar, poder-se-ão estender até meados de Junho.

Nessa altura, deverá já haver uma decisão relativa à Operação Marquês, investigação judicial que tem em José Sócrates o principal nome e em que Armando Vara é arguido.



(Notícia actualizada às 16:10 com declarações de Emídio Guerreiro)




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
DJ viajante Há 1 semana

Espero que estes ladroes do socialismo terminem ma prisao mas.......duvido da justiça

Anónimo Há 1 semana

Estes tipos tem argumentos de rapazitos da escola primária.Estava mal? não foi eu foi o outro menino. Trastar de emndar o mal tá quieto, issom dá muito trabalho

Pois Há 2 semanas

Era só uma caixa de robalos

saraiva14 Há 2 semanas

Mas por que vão chamar o Armando Vara e outros se a Comissão de Inquérito (cana*lhagem de Esquerda) já chegou à conclusão, há que tempos, que a culpa do mau estado a que chegou a CGD foi do Pedro Passos Coelho!?

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub