Banca & Finanças Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos

Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos

O ex-administrador da CGD entre 2005 e 2007 vai falar aos deputados na próxima semana. Depois da audição a Armando Vara, os trabalhos serão suspensos à espera dos documentos pedidos aos reguladores.
Vara chamado ao Parlamento na próxima semana antes de suspensão dos trabalhos
Pedro Aperta
Diogo Cavaleiro 16 de março de 2017 às 15:37

Armando Vara é chamado para prestar depoimento na comissão de inquérito à Caixa Geral de Depósitos na próxima semana. Esta é uma decisão saída da reunião de deputados coordenadores que teve lugar esta quinta-feira, 16 de Março.

 

A audição ao antigo administrador da CGD, que esteve no cargo entre 2005 e 2007, foi decidida pelos deputados mas ainda carece de confirmação junto do próprio. Vara é chamado pelo seu mandato que está também a ser investigado na Operação Marquês onde, segundo tem difundido alguma imprensa, o seu papel enquanto administrador do banco público foi determinante na concessão de créditos, como Vale do Lobo. 

 

O administrador do banco público na época de Carlos Santos Ferreira, que já foi ouvido pelos deputados, acontece antes da suspensão dos trabalhos da comissão de inquérito. Os deputados querem interromper o inquérito à espera da decisão do Supremo Tribunal de Justiça em relação aos documentos que a Caixa, o Banco de Portugal, a CMVM e o Ministério das Finanças não querem entregar aos deputados, entre os quais a lista dos maiores créditos concedidos pelo banco público.

"[Enquanto isso] esperamos que, sinceramente, as entidades judiciais se pronunciem, nomeadamente, o Supremo", frisou aos jornalistas o deputado social-democrata Emídio Guerreiro, que preside à comissão, após a reunião dos deputados coordenadores.

 

A suspensão dos trabalhos deverá decorrer até 5 de Maio. Mas também haverá uma nova extensão do prazo por 30 dias. Os trabalhos tinham prazo até ao final de Março, pelo que, com a suspensão e com mais um mês para funcionar, poder-se-ão estender até meados de Junho.

Nessa altura, deverá já haver uma decisão relativa à Operação Marquês, investigação judicial que tem em José Sócrates o principal nome e em que Armando Vara é arguido.



(Notícia actualizada às 16:10 com declarações de Emídio Guerreiro)




A sua opinião10
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
DJ viajante 17.03.2017

Espero que estes ladroes do socialismo terminem ma prisao mas.......duvido da justiça

Anónimo 17.03.2017

Estes tipos tem argumentos de rapazitos da escola primária.Estava mal? não foi eu foi o outro menino. Trastar de emndar o mal tá quieto, issom dá muito trabalho

Pois 16.03.2017

Era só uma caixa de robalos

saraiva14 16.03.2017

Mas por que vão chamar o Armando Vara e outros se a Comissão de Inquérito (cana*lhagem de Esquerda) já chegou à conclusão, há que tempos, que a culpa do mau estado a que chegou a CGD foi do Pedro Passos Coelho!?

ver mais comentários
pub