Banca & Finanças Venda da gestão de imóveis e crédito do ex-Banif tem três condições por cumprir

Venda da gestão de imóveis e crédito do ex-Banif tem três condições por cumprir

A operação entre a Oitante e a Altamira, da Apollo, foi anunciada em Abril. Em Setembro, a Autoridade da Concorrência foi notificada. Mas ainda há outras entidades que se têm de pronunciar.
Venda da gestão de imóveis e crédito do ex-Banif tem três condições por cumprir
Diogo Cavaleiro 13 de setembro de 2017 às 13:41

Anunciada em Abril, a venda da unidade de gestão de imóveis e de crédito da Oitante, antigo Banif, ainda aguarda o cumprimento de três condições. O veículo de gestão de activos, detido pelo Fundo de Resolução, assinala que os prazos estão dentro do esperado.

 

Foi esta segunda-feira que a Autoridade da Concorrência revelou ter sido notificada da operação de concentração através da qual a Proteus Asset Management, que pertence à Altamira, que por sua vez é controlada pelos americanos da Apollo, quer ficar com o controlo do negócio de gestão de créditos e activos imobiliários da Oitante, veículo que herdou os activos do Banif que o Santander Totta não quis adquirir. 

 

Desde aí, começou a correr o período de dez dias (de que restam agora oito) para que eventuais afectados possam fazer as suas considerações, de modo a que possam vir a ser enquadradas na decisão final da autoridade sob o comando de Margarida Matos Rosa sobre este negócio anunciado em Abril.

 

"No que se refere ao tempo que mediou a assinatura do contrato e o momento actual, importa referir que, como é habitual neste tipo de transacções, e considerando as condições de precedentes que habitualmente a Oitante tem de cumprir, são necessários alguns meses entre o envio dos processos para as respectivas entidades (nacionais e internacionais), o esclarecimento de dúvidas e a decisão final", indica a Oitante, presidida por Miguel Artiaga Barbosa, a perguntas do Negócios.

 

Neste momento, estão "ainda em falta o cumprimento de três condições precedentes, entre elas a da Autoridade da Concorrência". Nesse sentido, é ainda a Oitante que está responsável pelo negócio que pretende vender. Só com a luz verde relativa a essas condições é que a transacção se efectiva.

 

A operação diz respeito a duas áreas: a Oitante vende à Altamira a unidade gestora de activos imobiliários e gestora da carteira de crédito; além disso, a Oitante em Abril fechou um contrato de prestação de serviços em que a Altamira fica responsável por gerir e vender imóveis e malparado avaliados em 1,5 mil milhões de euros, que permanecem no balanço do veículo. 

 

"O calendário que se está a verificar está dentro da expectativa inicial de ambas as partes", assegura ao Negócios a Oitante. 

A Oitante ficou com activos do ex-Banif, mas ou para vendê-los ou para liquidá-los. O Banif Malta é um dos exemplos de negócio concluído, mas o Banif banco de investimento ainda aguarda autorizações. 




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
teixeira 14.09.2017

Por o Estado ser o maior acionista do Banif foi o que me levou a investir as poupanças de uma vida agora com uma reforma de 400£ fazia-me muita falta esse dinheiro

um tostãozinho para os shorts do BCP 13.09.2017

Coitadinhos dos shorts do MILENIUM BCP já há dois dias que não COMEM NADA vamos fazer uma coleta para os DESGRAÇADOS não morrerem há FOME vamos lá um TOSTÃOZINHO a cada UM que é para os POBREZINHOS não MORREREM há FOME

Anónimo 13.09.2017

Parece que o Santander tem uma parte significativa da Altamira asset management, ou seja, para que é que andam a enganar o pagode? Negócios destes também eu queria. Quem tem o capital é que manda.

Anónimo 13.09.2017

O Estado como maior acionista deve distribuir o que recebeu também pelos outros acionistas, e a Oitante também deve pagar.

ver mais comentários
pub