Bolsa Venda da posição da F. Ramada na Base já pode avançar

Venda da posição da F. Ramada na Base já pode avançar

A F.Ramada anunciou em Julho a venda da sua posição no capital da Base Holding, que actua no sector da saúde. A concretização deste negócio, que pode gerar uma mais-valia superior a 40 milhões de euros, estava apenas dependente da "luz verde" da Concorrência.
Venda da posição da F. Ramada na Base já pode avançar
Negócios 19 de setembro de 2017 às 23:19

"Na sequência do seu comunicado de 19 de Julho de 2017, relativo à alienação da totalidade da participação no capital social da sociedade Base Holding, a F. Ramada - Investimentos informa que foi adoptada uma decisão de não oposição à transacção pela Autoridade da Concorrência", sublinha o comunicado divulgado na CMVM esta terça-feira, 19 de Setembro.

 

De acordo com o documento, a concretização da transacção, designadamente o closing financeiro, ocorrerá até ao próximo dia 15 de Outubro.

 

No passado dia 19 de Julho, a F. Ramada Investimentos tinha anunciado a venda da totalidade das acções que detinha na Base Holding. O acordo foi alcançado com a Medicina Laboratorial – Doutor Carlos da Silva Torres, segundo o comunicado emitido nessa data.

 

"A Base Holding é a empresa-mãe de um grupo de empresas que desenvolve a sua actividade no sector da Saúde, mais especificamente nos Meios Complementares de Diagnóstico e Terapêutica (MCDT), nas áreas das Análises Clínicas, Imagiologia, Cardiologia e Gastroenterologia. A Base Holding conta, actualmente, com 350 médicos, e detém, na presente data, 14 laboratórios, 44 unidades de Radiologia e 7 unidades de Cardiologia, implantadas em todo o país, tendo atingido, durante o ano de 2016, uma facturação consolidada de aproximadamente 80 milhões de euros", adiantava a mesma fonte.

 

A operação estava sujeita à aprovação da Autoridade da Concorrência, podendo agora avançar.

Em Julho, a empresa de aço e sistemas de armazenagem, que partilha parte da composição accionista com a Cofina, proprietária do Negócios, sublinhava que "a transacção, cujo valor global está sujeito a ajustamentos, nos termos do acordo celebrado, se traduzirá numa mais-valia estimada, para a Ramada Investimentos, superior a 40 milhões de euros".

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub