Automóvel Venda de carros permanece abaixo de 2010 após cinco anos a subir

Venda de carros permanece abaixo de 2010 após cinco anos a subir

As vendas de automóveis em Portugal cresceram pelo quinto ano consecutivo, permanecendo ainda assim abaixo dos números registados antes da crise, em 2010.  
Nuno Carregueiro 02 de janeiro de 2018 às 18:31

As vendas de veículos automóveis ligeiros em Portugal aumentaram 7,6% em 2017, naquele que foi o quinto ano consecutivo de crescimento deste mercado.

 

Apesar de continuar em terreno positivo, o mercado automóvel abrandou substancialmente no ano passado, já que o crescimento de 7,6% foi o mais baixo deste período de quatro anos, que inclui a recuperação das fortes quedas sentidas nos anos da crise em Portugal.

 

Segundo os dados da Associação do Comércio Automóvel de Portugal (ACAP), as vendas de automóveis caíram 30% em 2011 e afundaram 40,9% em 2012, devido à recessão que assolou Portugal depois do pedido de assistência internacional. Depois vieram cinco anos de recuperação: +11,5% em 2013; +36,1% em 2014; +23,9% em 2015 e +15,7% em 2016.

 

Apesar destes cinco anos de retoma no mercado, o nível de vendas no ano passado permanece abaixo do registado em 2010, que foi o último ano antes da crise. Em 2017 foram matriculados pelos representantes oficiais de marca em Portugal um total de 260.654 automóveis ligeiros em Portugal. Em 2010 as vendas registaram um aumento homólogo de 34,6% para 269.133 veículos.

 

Para o menor crescimento das vendas em 2017 contribuiu um mês de Dezembro mais fraco que o habitual, já que as vendas subiram apenas 0,3%. Um abrandamento forte que poderá estar relacionado com o facto de este ano o agravamento fiscal nos automóveis não ter sido tão acentuado como em anos anteriores e por isso não justificou a antecipação da compra de carro novo por parte dos consumidores.  

 

Tendo em conta apenas os ligeiros de passageiros, as vendas cresceram 7,1% em 2017. As vendas de comerciais ligeiros aumentaram 10,4% e as de veículos pesados subiram 10,7%.   

 

Renault reforça liderança

 

No que diz respeito à análise por marcas, a Renault reforçou a liderança no mercado português, com as vendas a aumentarem 13,5% para 37.785 unidades, o que representa uma quota de mercado de 14,5% (13,75% em 2016).

 

Os dois restantes lugares do pódio das marcas mais vendidas em Portugal também não mudaram. A Peugeot aumentou as vendas em 8,1%, estabilizando a sua quota em 10,5%, o que lhe garante o segundo lugar.

 

A Volkswagen mantém o terceiro lugar, mas viu a margem estreitar-se substancialmente. Ainda fustigada pela crise da manipulação das emissões poluentes, as vendas da marca alemã desceram 4,5% e a quota de mercado de 7,9% para 7,01%. Entre as 10 marcas mais vendidas em Portugal, foi a única perder vendas no ano passado.

 

A Volkswagen esteve assim prestes a perder o último lugar do pódio para outra marca alemã. A Mercedes aumentou as vendas em 7,3% e conquistou 6,94% do mercado. Ficou a apenas 167 automóveis de apanhar a Volkswagen.      

 

A Citroën foi a quinta marca mais vendida em Portugal no ano passado (vendas subiram 9,1%) e Fiat (vendas aumentaram 17,6%) subiu um lugar, ocupando uma posição que em 2016 era da BMW (vendas aumentaram 1,9%), que também foi superada pela Opel (vendas subiram 9,8%).




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
semcrer 02.01.2018

É realmente um comentário digno de um enorme canalha!

"surpreso Há 1 hora
COMPREM OS DA AUTO-EUROPA ,QUE FICARÃO FAMOSOS,DEPOIS DO FECHO DA FÁBRICA"

surpreso 02.01.2018

COMPREM OS DA AUTO-EUROPA ,QUE FICARÃO FAMOSOS,DEPOIS DO FECHO DA FÁBRICA

pub