Automóvel Venda de carros na Europa abrandou em Fevereiro

Venda de carros na Europa abrandou em Fevereiro

Num período de incerteza na Europa, muito devido à incerteza política em vários países europeus, a venda de automóveis no Velho Continente arrefeceu em Fevereiro, tendo crescido 2,1% face ao salto de 10% verificado em Janeiro.
Venda de carros na Europa abrandou em Fevereiro
Miguel Baltazar
David Santiago 16 de março de 2017 às 07:51

Os dados revelados esta quinta-feira, 16 de Março, pela Associação dos Construtores Europeus de Automóveis (ACEA) mostram que, em Fevereiro, o volume de vendas de carros na Europa cresceu 2,1% para um total de 1,1 milhões de veículos.

 

Esta variação representa um forte abrandamento comparativamente com a subida de 10% registada no primeiro mês deste ano e acontece num momento de grande incerteza política em vários países da Zona Euro, nomeadamente Holanda, França e Alemanha, onde em 2017 decorrem eleições (na Holanda realizaram-se esta quarta-feira).

 

O arrefecimento do número de vendas verifica-se ainda numa altura em que o mercado automóvel europeu se encontra crescentemente saturado, isto depois de três anos consecutivos de expansão que se seguirão ao período menos fulgurante que se seguiu à crise das dívidas soberanas no seio do bloco do euro.

 

Segundo a ACEA, os dois principais fabricantes (Volkswagen e o grupo PSA) venderam menos carros em Fevereiro, tendo perdido parcelas do mercado para os principais rivais, entre os quais a Fiat Chrysler e a Renault.

 

A agência Bloomberg realça que apesar de já este mês o presidente do Banco Central Europeu (BCE), Mario Draghi, ter sustentado que a recuperação económica da Zona Euro está a ganhar robustez, os dados económicos relativos ao quarto e último trimestre de 2016 mostram que o bloco do euro está ainda a crescer menos do que o esperado.

 

A confirmar a incerteza e o abrandamento das vendas no sector automóvel, o Reino Unido, que é o segundo maior país da União Europeia a produzir automóveis, logo a seguir à Alemanha, registou em Fevereiro uma quebra de 0,3% nas vendas, naquilo que a Bloomberg considera poder tratar-se do início de um abrandamento induzido pelo Brexit. Londres deverá accionar o mecanismo que inicia formalmente as negociações para a saída da UE ainda este mês de Março.

 

A Volkswagen, que é a maior fabricante europeia, registou uma quebra de 1,5% nas vendas em Fevereiro, o que fez recuar a fatia detida no mercado automóvel de 23,9% no período homólogo para 23%.

 

Também o grupo PSA (Peugeot e Citroen) obteve uma redução nas vendas de 3,1% no mês passado, enquanto a Opel (futuro parceiro do grupo Carlos Tavares) perdeu 1,2% no mesmo período. 




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

QQ dia estaciona-se no teto.
Não existem já carros a mais? Desenvolva-se mas é os transportes públicos.

pub