Banca & Finanças Venda de carteiras de crédito mostram ao Totta que "não" precisa de veículo

Venda de carteiras de crédito mostram ao Totta que "não" precisa de veículo

Vieira Monteiro sabe pouco sobre o eventual veículo que ficará com crédito malparado dos bancos. "Há no mercado quem esteja mais interessado" do que o Totta, diz. Apesar disso, admite ver o que é oferecido.
Diogo Cavaleiro 02 de Novembro de 2016 às 16:25

O Santander Totta desfez-se de carteiras de crédito, tanto suas como adquiridas ao Banif. Fê-lo "sempre" com mais-valias, segundo adiantou António Vieira Monteiro. Algo possível porque o banco de capitais espanhóis tinha os créditos bem provisionados, segundo defende o CEO. 

 

"A venda de carteiras demonstra que não precisamos de recorrer a esse veículo [para crédito malparado]", assinalou o presidente executivo do Santander Totta na conferência de imprensa desta quarta-feira, 2 de Novembro, onde foi reportado um crescimento de 66% dos lucros entre Janeiro e Setembro. "Não temos tido dificuldade nas vendas de crédito", reforçou o CEO.

 

Em causa na resposta de Vieira Monteiro está a entidade a ser promovida pelo Executivo para retirar dos bancos o peso de crédito malparado, sobre o qual ainda não há novidades. O líder do banco afirma desconhecer o que está a ser preparado pelo Executivo para resolver esta questão. "Não sei em que termos é que está a ser desenvolvida essa actividade. Não me quero pronunciar sobre o que não conheço".

 

Sobre esse veículo, António Vieira Monteiro afirmou apenas que "há no mercado quem esteja mais interessado". "Não somos contra nem a favor, só que não precisamos de um veículo".


Apesar disso, o presidente executivo defende que haverá análise ao que será oferecido e em que condições: "Vamos ver o que é que lá vem".




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 19 horas

Este mercado é um excelente negocio, compra-se por um terço do valor e recupera 90% , geralmente os próprios presidentes e não só , estão por detrás da empresa que compra ou em ambas , claro com testas de ferro que dão o nome e eles dão o plim...isto sou eu a supor com os meus delírios de loucura

pub
pub
pub
pub