Comércio Vendas a retalho em Portugal cresceram mais do dobro da média europeia

Vendas a retalho em Portugal cresceram mais do dobro da média europeia

Com uma subida mensal de 3,9% em Novembro, Portugal liderou o crescimento das vendas a retalho na União Europeia.
Vendas a retalho em Portugal cresceram mais do dobro da média europeia
Paulo Duarte
Rita Faria 08 de janeiro de 2018 às 10:40

As vendas a retalho em Portugal cresceram 3,9% em Novembro, face ao mês anterior, um desempenho mais de duas vezes superior ao dos parceiros da União Europeia, revela o Eurostat esta segunda-feira, 8 de Janeiro.

Esta evolução, que se segue a uma descida de 2,4% em Outubro, compara com uma subida de 1,5% tanto na União Europeia como na Zona Euro.  

Portugal liderou mesmo a subida deste indicador na Europa, seguido pela Eslovénia (2,8%), Alemanha (2,3%) e Croácia (2,1%), num mês em que só a Estónia registou uma descida (-0,2%).

De acordo com o Eurostat, a subida de 1,5% no volume do comércio a retalho na Zona Euro deve-se sobretudo ao aumento de 2,3% dos produtos não-alimentares e de 1,2% na alimentação, bebidas e tabaco.   

Também na comparação homóloga – em relação ao mesmo mês do ano anterior - Portugal destacou-se entre os parceiros europeus, com as vendas a retalho a subirem 5%, a melhor evolução desde Junho.

Esta subida compara com o aumento de 2,8% na Zona Euro e 2,7% na União Europeia.

"O crescimento de 2,8% no volume do comércio a retalho na Zona Euro em Novembro de 2017, em relação a Novembro de 2016, deve-se à subida de 4,1% nos produtos não-alimentares, de 1,6% na alimentação, bebidas e tabaco e de 0,2% nos combustíveis", justifica o Eurostat.

Entre os Estados-membros da União Europeia, as maiores subidas foram observadas na Roménia (10,9%), Polónia (7,6%) e Malta (7%) e a única descida na Estónia (-1,2%). 




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
comentar
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentários mais recentes
Espetacular 08.01.2018

Quem não gosta que emigre, fascistas nunca mais.

Anónimo 08.01.2018

compra compra que está baratinho...

pertinaz 08.01.2018

PORTUGAL...O MOTOR DA ECONOMIA EUROPEIA...

QUE ANEDOTA...!!!

Pika 08.01.2018

É assim nos países ricos. Gastar hoje e amanhã logo se verá.

pub