Start-ups Vendas da Science4you aumentam 46% para 5,5 milhões de euros no primeiro semestre

Vendas da Science4you aumentam 46% para 5,5 milhões de euros no primeiro semestre

As vendas da empresa de brinquedos Science4you subiram quase 50% nos primeiros seis meses do ano, para um total de 5,5 milhões de euros. Companhia entrou em dez mercados no primeiro semestre.
Vendas da Science4you aumentam 46% para 5,5 milhões de euros no primeiro semestre
Pedro Elias
Ana Laranjeiro 19 de julho de 2017 às 10:00

A companhia de brinquedos educativos Science4you superou os 5 milhões de euros de vendas nos primeiros seis meses deste ano. Período em que abriu a porta a 10 novos mercados externos.

Assim, no primeiro semestre, a companhia registou vendas de 5,5 milhões de euros, o que reflecte um crescimento de 46% face ao mesmo período do ano passado, indica o comunicado enviado às redacções.

Durante este período, a empresa liderada por Miguel Pina Martins (na foto) entrou 10 novos mercados: Marrocos, República Dominicana, Letónia, Estónia, Eslovénia, Croácia, Sérvia, Taiwan, Rússia e Bielorrússia.

O mercado externo tem uma forte componente para o total de vendas da empresa, dado que 60% da facturação registada nos dois primeiros trimestres do ano têm origem nos mercados internacionais.

Miguel Pina Martins adianta, no comunicado, que "apesar de o negócio dos brinquedos ser marcadamente sazonal, com mais de 60% das vendas a realizarem-se no período do Natal, este crescimento do primeiro semestre é fundamental para a nossa estratégia de crescimento e internacionalização".

"O valor das exportações já ultrapassou as vendas domésticas da Science4you e o expectável é que no segundo semestre esta diferença seja ainda mais acentuada, sobretudo por causa dos Estados Unidos", acrescentou o CEO da empresa.

A firma de brinquedos educativos mantém a ambição de fechar este ano com vendas no valor de 23 milhões de euros, uma meta já traçada em entrevista ao Negócios no início do ano.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
Saber mais e Alertas
pub
pub
pub