Automóvel Vendas de carros eléctricos batem recorde em sete meses

Vendas de carros eléctricos batem recorde em sete meses

Venderam-se mais carros eléctricos em sete meses do que no ano de 2016. As vendas até Julho foram superiores ao acumulado entre 2010 e 2014. Dos 1.000 cheques que o Governo tem para dar já só falta atribuir 220.
A carregar o vídeo ...
André Cabrita-Mendes 04 de setembro de 2017 às 22:00
As vendas de carros eléctricos continuam a bater recordes em Portugal. Em sete meses já superaram as vendas totais registadas em 2016, quando foi atingido um máximo histórico (756 unidades) pelo quarto ano consecutivo. Este ano foram vendidos 921 carros eléctricos até Julho, mais 130% face a período homólogo, segundos os dados da Associação Automóvel de Portugal (ACAP).

Por modelos, o Renault Zoe é o campeão das vendas, que aumentaram 350% para 437 unidades, seguido pelo Nissan Leaf, que registou um acréscimo de 37% para 246 unidades. O BMW I3 fecha o pódio, com uma subida de 69% para 145 unidades. Em 2016, o Nissan Leaf foi o carro mais vendido pelo segundo ano consecutivo, tendo então crescido 57% e atingido as 328 unidades.
O crescimento das vendas acontece devido a diversos factores, sendo de destacar a cada vez maior autonomia dos carros eléctricos, o que dá uma maior confiança aos consumidores.

É notório o aumento das vendas para empresas, fruto do pacote de incentivos  aliciante, bem como o crescente interesse por parte das empresas de táxis e a Uber, e das empresas de aluguer de viaturas. Henrique Sánchez, Presidente da UVE
As empresas também estão a apostar cada vez mais no carro eléctrico, com a ajuda dos incentivos, como o cheque  de 2.250 euros ou a  isenção do Imposto Único de Circulação (IUC).  "É notório o aumento das vendas para empresas, fruto do pacote de incentivos muito aliciante, bem como o crescente interesse por parte das empresas de transporte individual, como táxis e Uber, e das empresas de aluguer de viaturas", explica ao Negócios o presidente da Associação de Utilizadores de Veículos Eléctricos (UVE), Henrique Sánchez.

Com as vendas a acelerarem, os novos proprietários de carros eléctricos têm estado a recolher os cheques de 2.250 euros a um bom ritmo. O Governo reservou para este ano um total de 2,25 milhões de euros para atribuir na compra destas viaturas.  Até agora já foram levantados 780 cheques, faltando atribuir 220 para atingir o tecto dos mil cheques, esgotando assim o valor disponível para 2017.

Em relação ao estado de implementação da rede Mobi.e, a UVE faz um balanço da situação.  " Todos desejávamos que fosse a um ritmo superior, no entanto, temos neste momento toda a A1 e A2 com postos de carregamento rápido instalados, bem como alguns na A5, A22, A23, e nas principais cidades", afirma Henrique Sánchez.

Os carregamentos nos postos de carregamento rápido eram para começar a ser pagos em Julho, mas a empresa gestora da rede decidiu adiar o arranque da cobrança para depois do Verão. A decisão da Mobi.e deveu-se ao facto de muitos utilizadores precisarem de  "mais tempo para avaliar a adesão" a um comercializador de electricidade.

A Mobi.e também está actualmente a proceder ao aumento da potência dos 100 postos de carregamento mais utilizados no país. Ao mesmo tempo, também está a ser preparada a última fase de expansão da rede para chegar a todos os concelhos de Portugal Continental.

Problemas com os condomínios

Marcas como a Renault e a Nissan estão a oferecer o carregador doméstico aos seus clientes. Nas moradia a instalação é simples, mas há casos de problemas com os condomínios para quem vive em prédios. Aqui das duas, uma: ou liga directamente ao contador da sua casa, ou instala um contador individual na garagem, que está ligado ao contador geral do prédio, tendo depois de pagar ao condomínio a energia consumida.

Mas "alguns condomínios têm levantado problemas" com este sistema, confirma o presidente da UVE, apontando que quem quer instalar o carregador tem somente de informar o condomínio, cumprindo certos pontos.




A sua opinião4
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado bazanga 05.09.2017

Enquanto n tiver autonomia de 500Km com carro cheio de noite a chover e a/c ligado por estar calor ao mesmo tempo, n é para mim.

comentários mais recentes
Anónimo 05.09.2017

APROVEITEM ENQUANTO OS AMERICANOS NÃO FECHAM A TORNEIRA.

Anónimo 05.09.2017

<< Mas "alguns condomínios têm levantado problemas" com este sistema, confirma o presidente da UVE, apontando que quem quer instalar o carregador tem somente de informar o condomínio, cumprindo certos pontos.>>

Como é que basta 'informar', não terá o condomínio de aumentar a potência contratada?

Mr.Tuga 05.09.2017

VERGONHA DISCRIMINATÓRIA!!!

As empresas compram um BMW serie 5 eléctrico (para o patraozeco passear de forma luxuosa) e descontam a totalidade do IVA!
Já um particular leva um das CALDAS!
VERGONHA!

bazanga 05.09.2017

Enquanto n tiver autonomia de 500Km com carro cheio de noite a chover e a/c ligado por estar calor ao mesmo tempo, n é para mim.

Saber mais e Alertas
pub