Comércio Vendas do Dia crescem 2% em Portugal

Vendas do Dia crescem 2% em Portugal

Os primeiros nove meses do ano foram marcados pelo aumento de vendas do Dia em Portugal, um crescimento que acabou por ser ofuscado pela queda das margens.
Vendas do Dia crescem 2% em Portugal
Bloomberg
Sara Antunes 25 de Outubro de 2016 às 11:02
Os resultados líquidos do Dia aumentaram 3,3% para 107,5 milhões de euros, com as receitas líquidas totais a caírem 1,2% para 6,56 mil milhões de euros, revelou esta terça-feira, 25 de Outubro, a empresa em comunicado emitido para a espanhola Comisión Nacional del Mercado de Valores (CNMV).

Os dados sobre resultados líquidos, vendas líquidas e EBITDA da empresa que detém a insígnia Minipreço não são revelados por países.

O EBITDA da retalhista aumentou 0,4% para 429,1 milhões de euros, com a margem de EBITDA a passar de 6,4% há um ano para 6,5%. Na Península Ibérica a margem estabilizou nos 8,4%, ajudada pelo mercado espanhol, já que em Portugal foi "negativa", adiantou a empresa numa apresentação.

A evolução das margens do Dia em Portugal está em linha com o restante mercado, com a concorrência a levar a que as retalhistas reduzam as suas margens.

As receitas brutas do Dia em Portugal cresceram 2,1% para 635,2 milhões de euros, um aumento semelhante ao verificado em Espanha (2%), país onde as receitas brutas superaram 4,46 mil milhões. As receitas totais do Dia caíram 0,5% para 7,8 mil milhões de euros, com a Argentina e a China a pressionarem.

As acções do Dia caem 2,79% para 5,322 euros.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub