Empresas Vendas da Nestlé crescem ao ritmo mais lento em mais de uma década

Vendas da Nestlé crescem ao ritmo mais lento em mais de uma década

A empresa que é dona de marcas como a Nespresso cortou as suas estimativas de vendas para o conjunto do ano, depois de as receitas dos primeiros nove meses terem ficado abaixo do esperado.
Vendas da Nestlé crescem ao ritmo mais lento em mais de uma década
Bloomberg
Negócios 20 de Outubro de 2016 às 07:57

A Nestlé, a maior fabricante mundial de produtos alimentares, cortou as suas estimativas de vendas para o conjunto do ano, depois de as receitas dos primeiros nove meses terem crescido ao ritmo mais lento em mais de uma década.

Num comunicado divulgado esta quinta-feira, 20 de Outubro, a dona de marcas como a Nespresso revelou que as vendas dos primeiros nove meses do ano subiram 3,3%, abaixo das estimativas dos analistas, que apontavam para um crescimento de 3,6%.

Este resultado levou a Nestlé a cortar as suas previsões de vendas para o conjunto do ano para 3,5%.

Segundo a Bloomberg, há vários anos que a Nestlé e as suas concorrentes, como a Unilever e a Danone, se debatem com uma inflação muito baixa na Europa, que tem impedido a subida dos preços.

Agora, enfrentam a situação oposta nos mercados emergentes, onde a subida dos custos das matérias-primas as obrigaram a aumentar os preços dos seus produtos em países como o Brasil.

O crescimento das vendas nos mercados emergentes abrandou para 5,3% nos primeiros nove meses deste ano, o que compara com a subida de 8,9% registada no ano de 2015.

 




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub