Concorrência & Regulação Vestager: "Não podemos aceitar quando o Google impede os outros de competir"

Vestager: "Não podemos aceitar quando o Google impede os outros de competir"

A comissária europeia voltou a defender a importância da concorrência para o campo da inovação. Grandes empresas como a Google e a Apple têm uma "responsabilidade" acrescida, diz. Aos empreendedores deixou um conselho: quando duvidarem das vossas capacidades, perguntem-lhes "Porque não?".
Vestager: "Não podemos aceitar quando o Google impede os outros de competir"
Bruno Simão/Negócios
Wilson Ledo 07 de novembro de 2017 às 14:48

A Comissária Europeia para a Concorrência, Margrethe Vestager, defendeu esta terça-feira, 7 de Novembro, a  "responsabilidade" que as "companhias dominantes" devem cultivar para um normal funcionamento do mercado.

 

"Não podemos aceitar quando o Google usa o seu serviço de comparação de preços e impede os outros de concorrer", afirmou durante uma sessão da segunda edição do Web Summit em Lisboa. Neste caso, Bruxelas aplicou uma coima recorde de 2,4 mil milhões de euros à tecnológica norte-americana.

 

Vestager recordou que a "concorrência faz a inovação funcionar" e prometeu que estará atenta também nos processos de fusão e de controlo de dados. "Controlar uma grande quantidade de dados não deve servir para afastar concorrentes. Se os dados forem um obstáculo para a concorrência, vamos lá estar", assegurou.

 

A comissária europeia - fazendo uma referência aos benefícios fiscais concedidos pela Irlanda à Apple, que agora tem 13 mil milhões de euros em impostos para devolver - falou ainda da importância dos governos para que se assista a um equilíbrio em termos de concorrência.

 

Vestager referiu ainda que um em cada quatro europeus não consideram que os seus dados estão protegidos online e que, para recuperar essa confiança, estima avançar com nova regulação a nível comunitário já na Primavera do próximo ano.

 

Uma vez em Lisboa, a representante de Bruxelas aproveitou para caracterizar esta como uma cidade onde se pode "ver o passado" e "agarrar o futuro". Vestager incentivou os empreendedores a responder aos investidores quando estes perguntam porque devem apostar neles. "A resposta que devem dar é: porque não? É esse o espírito que abre novos horizontes".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub