Turismo & Lazer Viagens: Europeus preferem viajar no seu próprio país e de carro

Viagens: Europeus preferem viajar no seu próprio país e de carro

A maioria dos europeus preferiu, em 2015, fazer viagens curtas, num máximo de três noites fora e, sobretudo, dentro do próprio país. O carro foi o meio de transporte mais utilizado.
Viagens: Europeus preferem viajar no seu próprio país e de carro
Negócios 30 de junho de 2017 às 10:44

Em 2015, a maioria dos europeus que viajou não passou muito tempo fora de casa. Os dados do Eurostat, divulgados esta sexta-feira, 30 de Junho, mostram que a maioria das viagens de turismo (58%) foi de curta duração, passando os residentes da União Europeia (UE), no máximo, três noites fora de casa. Apenas em quatro países (Grécia, Bélgica, Luxemburgo e Malta) da UE as viagens dos residentes ultrapassaram as três noites.

O destino foi, na maioria das vezes, o próprio país. Três quartos de todas as viagens foram realizadas dentro do próprio país, algo que se verificou sobretudo em países como a Roménia, Espanha, Portugal, França e Grécia "onde mais de 85% de todas as viagens foram domésticas", revela o gabinete europeu de estatística.

Uma vez que uma parte significativa das viagens foram para destinos localizados no próprio país de origem, talvez não seja estranho que o automóvel (privado ou alugado) foi o principal meio de transporte usado. A utilização do carro para estas deslocações foi particularmente notada em países como Eslovénia, Portugal, República Checa, Espanha, Bulgária, Hungria e França.

O avião foi o segundo meio mais usado (tendo sido através deste meio que foram realizadas 16% da totalidade das viagens), seguido pelo comboio e autocarro, segundo a informação divulgada pelo Eurostat.




A sua opinião1
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Ainda bem Há 3 semanas

Não venham para Portugal que já mete nojo tanta merda estrangeira.

pub