Indústria Vicaima abre "portas" a 80 empregos em Vale de Cambra

Vicaima abre "portas" a 80 empregos em Vale de Cambra

Pistolador, fresador ou carpinteiro. Estas são algumas das novas posições em aberto no grupo especializado na produção de portas de interior e portas técnicas, visando reforçar a produção e a presença internacional.
Vicaima abre "portas" a 80 empregos em Vale de Cambra
Arlindo Costa Leite, presidente da Vicaima.
António Larguesa 24 de outubro de 2017 às 12:09

O Grupo Vicaima anunciou esta terça-feira, 24 de Outubro, a abertura de um processo de recrutamento para preencher 80 postos de trabalho, visando o aumento da produção na unidade de Vale de Cambra, no distrito de Aveiro, com o objectivo de "promover o alargamento da oferta do portefólio e reforçar a presença internacional".

 

A empresa especializada na produção de soluções de portas de interior, portas técnicas, aros e peças para mobiliário, que já emprega cerca de 800 pessoas, está à procura de novos profissionais para as posições de operador de máquinas, ajudante de operador, condutor de empilhador, operador de armazém, pintores ou pistoladores, fresadores, electricistas e carpinteiros.

 

Liderada por Arlindo Costa Leite, a empresa portuguesa vende 92% da sua produção no estrangeiro, num total de 30 países distribuídos por todo o mundo. No Reino Unido, Espanha e Marrocos conta mesmo com presença directa, apontando "este reforço de recursos [como] uma oportunidade para alargar ainda mais as suas fronteiras".

 

"Este reforço estrutural representa a ambição da Vicaima em continuar a afirmar presença nos mercados onde já opera, bem como a alargar os seus horizontes a nível internacional e de oferta de portefólio. Temos um ADN fortemente orientado para a criação de tendências, para a produção de valor e para a inovação, e este novo salto da empresa vem dar mais força a esse pressuposto", resumiu o empresário num comunicado de imprensa divulgado esta manhã.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub