Empresas Vidrala paga 19,7 milhões por controlo da Ricardo Gallo

Vidrala paga 19,7 milhões por controlo da Ricardo Gallo

A vidreira espanhola Vidrala vai pagar 15,02 milhões de euros por 77,69% do capital da congénere portuguesa Ricardo Gallo e entregar mais 500 mil acções próprias, avaliadas em 4,7 milhões de euros à cotação actual, o que totaliza 19,7 milhões de euros.
Isabel Aveiro 02 de outubro de 2003 às 17:40

A vidreira espanhola Vidrala vai pagar 15,02 milhões de euros por 77,69% do capital da congénere portuguesa Ricardo Gallo e entregar mais 500 mil acções próprias, avaliadas em 4,7 milhões de euros à cotação actual, o que totaliza 19,7 milhões de euros.

A Vidrala comunicou hoje ao mercado espanhol que «a companhia filial Inverbeira – Sociedad de Promoción de Empresas, assinou um contrato de aquisição de 77,69% do capital social» da empresa portuguesa Ricardo Gallo – Vidro de Embalagem, da Marinha Grande.

O preço do contrato, que supõe 86,3% (excluindo acções próprias da empresa portuguesa) é «15,02 milhões de euros, mais a entrega de 500 mil acções próprias da Vidrala». Tal representa 2,7% da vidreira espanhola.

As acções da Vidrala fecharam em Madrid a cotar nos 9,41 euros, caindo 2,49%.

No passado dia 23 de Julho de 2003 a Vidrala tinha anunciado que tinha chegado a «um acordo de intenções», sujeito a negociação, com vista à aquisição de 71,45% do capital social (79,39% excluindo acções próprias) por 13,31 milhões de euros, mais a entrega dos mesmos 500 títulos da Vidrala.

De acordo com os dados da Vidrala, a Ricardo Gallo tem uma capacidade produtiva de 160 mil toneladas e uma facturação anual de 48 milhões de euros.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub