Banca & Finanças Vieira Monteiro: "Acho bem que Banco de Portugal" tome medidas no crédito

Vieira Monteiro: "Acho bem que Banco de Portugal" tome medidas no crédito

O presidente do Santander Totta assumiu ser positivo que o banco central tome medidas para evitar excessos na concessão de créditos. Mas assume que as práticas do banco que lidera já estão em conformidade.
Vieira Monteiro: "Acho bem que Banco de Portugal" tome medidas no crédito
Miguel Baltazar
Alexandra Machado 01 de fevereiro de 2018 às 14:25
A conferência de imprensa do Santander Totta estava a decorrer na altura em que eram divulgadas as medidas que o Banco de Portugal  pretende tomar para evitar excessos na concessão de créditos às famílias.

Vieira Monteiro, presidente do Santander Totta, já tinha afirmado, na conferência, que no banco o "stock" de crédito a particulares estava a crescer menos do que o empresarial, estando este a chegar a um ponto de equílibrio entre os dois segmentos. 

Mais tarde garantia que o banco tem uma preocupação de rigor na concessão dos créditos, pelo que as recomendações do Banco de Portugal não obrigam a ajustamentos relevantes no Santander Totta. Por exemplo, Vieira Monteiro garante que o banco tem uma política de não dar crédito acima dos 80-85% da avaliação. E a taxa de esforço média recomendada também é prática do banco.

"Acho bem que o banco central tome medidas de maneira a defender os consumidores", disse à margem da apresentação de resultados.






pub