Banca & Finanças Vieira Monteiro e Amado questionam em que é que a CGD vai ser diferente

Vieira Monteiro e Amado questionam em que é que a CGD vai ser diferente

Os concorrentes da Caixa Geral de Depósitos acreditam que falta saber quais as funções essenciais que o banco vai desempenhar. Ambos concordam também que o banco tem de ter independência na gestão.
Vieira Monteiro e Amado questionam em que é que a CGD vai ser diferente
Bruno Simão
Diogo Cavaleiro 23 de Novembro de 2016 às 13:16

António Vieira Monteiro e Nuno Amado, que já foram colegas no Santander Totta, estiveram de acordo hoje em relação ao que se espera da Caixa Geral de Depósitos.

 

"O fundamental para mim é saber quais são as funções" especiais que a Caixa, enquanto banco público, vai desempenhar", afiançou o actual presidente executivo do Santander Totta no Fórum Banca, esta quarta-feira, 23 de Novembro, em Lisboa.

 

Nuno Amado, presidente do BCP e antecessor de Vieira Monteiro no Totta, diz que houve anos em que não percebia com distinção quais as funções que a CGD desempenhava face aos concorrentes.

 

Hoje em dia, esta já não é a ideia do líder do BCP. Mas ainda há um caminho a percorrer, desde logo em que "funções em particular se deve focar".

 

As declarações dos dois banqueiros foram proferidas quando ainda não há, neste momento, um plano de negócios público na instituição financeira pública que defina as áreas de aposta da CGD.

 

Nuno Amado e Vieira Monteiro concordaram também na necessidade de uma "gestão independente". "Independente e não sujeita aos caprichos de determinadas entidades", acrescentou o presidente do Santander Totta na sua intervenção.




A sua opinião5
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Anónimo Há 1 semana


Os ladrões de esquerda

SÓCRATES GATUNO & COSTA LADRÃO, deitam Portugal ao chão.

O BPN nacionalizado pelo PS, já custou 7 mil milhões aos contribuintes portugueses.

O prejuízo dos contribuintes no BES, liquidado pelo PSD, ficará limitado á participação da CGD no fundo de resolução (cerca de mil milhões).

O BANIF liquidado pelo PS, vai custar 3 mil milhões aos contribuintes portugueses.

Quem é que rouba mais os portugueses, quem é?

comentários mais recentes
J. SILVA Há 1 semana

Esta miséria humana do Amado , a falar de independência , é duma baixeza moral e dum tipo sem escrúpulos. Total falta de independência teve ele no negócio com a Fosun, cedeu a tudo, até dava o banco por 1 € se fosse necessário. Que grande lata e os pares do seminário devem ter aplaudido....

J. SILVA Há 1 semana

Estas declarações do Amado sobre a independência da gestão é mesmo de besta ao quadrado. No BCP fez exactamente o contrário , sempre a reboque dos angolanos e a prova disso é que parte significativa das imparidades se deve a financiamentos a Angolanos e até provavelmente com com a própria Sonangol

Anónimo Há 1 semana


Os ladrões de esquerda

SÓCRATES GATUNO & COSTA LADRÃO, deitam Portugal ao chão.

O BPN nacionalizado pelo PS, já custou 7 mil milhões aos contribuintes portugueses.

O prejuízo dos contribuintes no BES, liquidado pelo PSD, ficará limitado á participação da CGD no fundo de resolução (cerca de mil milhões).

O BANIF liquidado pelo PS, vai custar 3 mil milhões aos contribuintes portugueses.

Quem é que rouba mais os portugueses, quem é?

daniel Há 1 semana

A banca é um negocio e como tal os politicos estão de mãos dadas .Toda a banca nacional e mundial está em sintonia com os interesses politicos que são os mesmos que a dita banca detém .O que tem de mudar são os pulhas que destruiram este país ,banqueiros, politicos e os advogados metidos ...........

ver mais comentários
pub
pub
pub
pub