Banca & Finanças Vieira Monteiro: "O Santander Totta não precisa de nenhum veículo para o malparado"

Vieira Monteiro: "O Santander Totta não precisa de nenhum veículo para o malparado"

"O Santander Totta não precisa de nenhum veículo para o malparado", garantiu Vieira Monteiro. No entanto, o banqueiro admite estar interessado numa solução sistémica, "se houver algo que nos possa interessar".
Vieira Monteiro: "O Santander Totta não precisa de nenhum veículo para o malparado"
Pedro Elias/Negócios
Maria João Gago 25 de janeiro de 2017 às 13:15

O presidente do Santander Totta garante que o Banco "não precisa de nenhum veículo para o malparado". Vieira Monteiro garante que a instituição tem "capacidade para gerir os seus créditos e para vender carteiras de crédito".

 

No entanto, o banqueiro admitiu que "pode aparecer alguma proposta que nos possa interessar. Se houver algo que nos possa interessar não deixaremos de analisar" essa solução.

 

O Governo e o Banco de Portugal receberam uma proposta de 15 mil milhões de euros, cerca de 8% do PIB nacional, para comprar o malparado no sistema bancário português, avança o Público, que coloca em cerca de 30 mil milhões o volume total de crédito malparado no balanço dos bancos nacionais, metade do qual já estará provisionado.

A proposta chega de António Esteves, que deixou o Goldman Sachs em Abril após 8 anos no banco norte-americano, que garante ter um cheque pronto com o suporte de um grande banco internacional que não revela e um plano traçado com o apoio da consultora Deloitte e do escritório de advogados Vieira de Almeida.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub