Turismo & Lazer Vila Galé investiu 4,5 milhões em renovações

Vila Galé investiu 4,5 milhões em renovações

Onze das 20 unidades do grupo hoteleiro em Portugal receberam intervenções, prontas a tempo do Verão.
Vila Galé investiu 4,5 milhões em renovações
Pedro Elias
Wilson Ledo 25 de julho de 2017 às 13:14

O grupo hoteleiro Vila Galé, o segundo maior do país, investiu 4,5 milhões de euros na renovação das suas unidades este ano. O anúncio foi feito esta terça-feira, 25 de Julho.

              

As renovações tiveram lugar em 11 das unidades do grupo em Portugal, construindo-se novas recepções, restaurantes com o conceito de comida italiana Massa Fina ou bares.

 

Destaque para a construção de uma capela na unidade Clube de Campo, perto de Beja, onde o grupo hoteleiro quer apostar na realização de casamentos.

 

Outro exemplo dá-se no hotel da Ericeira, onde foi concluída a renovação de mais de uma centena de quartos.

 

Um dos activos mais reconhecidos do grupo, o Palácio dos Arcos em Paço de Arcos, terá uma nova recepção e bar, por exemplo.

 

"Na hotelaria, é preciso estar sempre a par das tendências, da inovação que vai surgindo e da evolução das necessidades dos hóspedes. É por isso que todos os anos fazemos questão de investir na renovação dos hotéis Vila Galé", justou o presidente Jorge Rebelo de Almeida em comunicado.

 

O grupo, também presente no Brasil, conta com 20 unidades hoteleiras em Portugal. Ao longo do próximo ano irá abrir outras cinco, num plano de expansão de 50 milhões de euros. Os novos hotéis ficarão localizados em Braga, Porto, Manteigas, Sintra e Elvas.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub