Indústria Vista Alegre fecha semestre com lucros de 1,3 milhões

Vista Alegre fecha semestre com lucros de 1,3 milhões

Depois de ter fechado o ano de 2016 com lucros, o primeiro semestre deste ano segue no mesmo sentido. A aposta na internacionalização tem dado frutos, pesando já 72% do negócio.
Vista Alegre fecha semestre com lucros de 1,3 milhões
Pedro Elias/Negócios
Wilson Ledo 25 de julho de 2017 às 17:27

A Vista Alegre Atlantis registou lucros de 1,3 milhões de euros no primeiro semestre de 2017. Um valor que compara com 992 mil euros em prejuízos no mesmo período do ano passado.

A contribuir estão vendas de 41,1 milhões de euros, numa subida homóloga de 16%. Os mercados externos representam 72% deste total ou 29,4 milhões de euros, mostra a informação enviada esta terça-feira, 25 de Julho, à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM).


A cotada registou um EBITDA de  6,3 milhões de euros, mais do que duplicando o registado no mesmo período do ano passado. 

No plano de internacionalização, os mercados encarados como "prioritários" são México, Índia, Itália e França. Foi neste último país, precisamente, que a centenária marca de porcelana lançou as suas primeiras lojas em Junho e espera fechar o ano com cinco estabelecimentos em território gaulês.


Já o mercado interno representa 11,7 milhões de euros, à conta da estratégia de abertura de lojas próprias na área metropolitana de Lisboa em parceria com as marcas Bordallo Pinheiro, Casa Alegre e Silampos.


A empresa do grupo Visabeira diz ter realizado investimentos no valor de 2,3 milhões de euros durante o primeiro semestre.

O grupo Vista Alegre Atlantis fechou 2016 com lucros de 1,7 milhões de euros, invertendo o ciclo negativo dos cinco anos anteriores. Só em 2011 tinha registado lucros pela primeira vez em nove anos.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub