Imobiliário "Vistos gold": Chineses dizem ter sido "enganados" por Portugal

"Vistos gold": Chineses dizem ter sido "enganados" por Portugal

Os investidores que aplicaram dinheiro em Portugal no âmbito das Autorizações de Residência para Actividade de Investimento (ARI) queixam-se à TSF de atrasos de meses na renovação do visto. O SEF recusa que a demora supere um ano e garante que "até ao final deste ano as renovações estarão actualizadas."
"Vistos gold": Chineses dizem ter sido "enganados" por Portugal
Bruno Simão/Negócios
Negócios 10 de Outubro de 2016 às 14:11

Os cidadãos chineses que procuraram Portugal no âmbito do programa de concessão de "vistos gold" – concessão de autorização de residência em contrapartida de investimento no país – criticam os atrasos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) que vão desde meses a dois anos na renovação dessa autorização, dizendo-se "enganados."

Aquele meio de comunicação social refere que os detentores do "visto gold" devem vir a Portugal pelo menos sete dias por ano e que a ausência de renovação das autorizações de residência obrigam os chineses a pedir um visto normal.

"Já fizeram o investimento, estamos fartos de esperar e as pessoas sentem-se enganadas," disse à rádio TSF, o empresário Jiaojiao Yao, ligado a uma empresa de investimentos imobiliários na capital.

O presidente da Liga dos Chineses em Portugal, Y Ping Chow, diz ter conhecimento de centenas de casos do género e relata acusações de "propaganda falsificada" feitas pelos investidores, lamentando o "esforço" feito pela comunidade chinesa para atrair estes cidadãos chineses para Portugal depois da criação das Autorizações de Residência para Actividade de Investimento (ARI).

"O mínimo [de investimento para obter a ARI] era 500 mil euros, mas eu tenho amigos que gastaram 2 ou 3 milhões, além de grupos que investiram 10 ou 15 milhões", afirma esta responsável. Resultado: os investidores chineses chegaram a ponderar manifestar-se frente ao e alguns já começaram a vender o património comprado no país.

O SEF recusa que os atrasos superem um ano, como é invocado pelos cidadãos chineses, mas admite, segundo a TSF, "algum atraso nas renovações" das ARI. Essa demora obrigou a criar um grupo de trabalho para acelerar o processo e o SEF garante que "até ao final deste ano as renovações estarão actualizadas".

Os investidores chineses lideram, de longe, em número de autorizações emitidas e de investimento aplicado em Portugal no âmbito do programa de "vistos gold". Desde a criação do programa em Outubro de 2012 e até 30 de Setembro passado os cidadãos oriundos da China receberam 2.879 destes vistos, entre os 3.888 que foram emitidos. 

O montante total captado - incluindo chineses e outras nacionalidades - foi de cerca de 2,37 mil milhões de euros, tendo sido a maior parte referente a compra de imóveis (2,14 mil milhões de euros e 232 milhões por transferência de capital).




A sua opinião18
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
mais votado Gatunos Há 3 semanas

Não se pode investir a massa em países como Portugal que são uma Republica de LADRÔES.
Basta ver a lei das rendas das casas CONGELADAS desde o dia 12 de Novembro de 1910.
Quem APOIA O ROUBO de quem investe a massa em Portugal MERECE SER FUZILADO OU ENFORCADO.

comentários mais recentes
saraiva14 Há 3 semanas

Chineses dizem-se enganados por Portugal!? Coitados dos chineses; ainda não sabiam o que Portugal era! Portugal é um País vígaro, desonesto e ladrão!

Gatunos Há 3 semanas

Caro comentador das 17:19 o teu comentário demonstra que não conheces a lei nova de arrendamento, pois senão deveria saber que se um inquilino tiver mais de 65 anos de idade não pode ser alvo de despejo e tem as rendas praticamente congeladas, tenho casos desses e com rendas inferiores a 50 euros mensais que não dão para pagar o imi e o condomínio.

Juca Há 3 semanas

Ah pois! É necessário avançar com algum para os corruptos do costume para os processos se "mexerem". É como a utilização da parte anal, é necessária a vaselina para a coisa correr melhor.

Anónimo Há 3 semanas

Então se o Estado não tem problemas em chu-lar até ao tutano os próprios contribuintes que lhe garantem a sobrevivência, ia ter contemplações com uns quantos chineses ? ... olhem, façam barulho, que eles só se mexem quando a malta do dinheiro lhes bate o pé.

ver mais comentários
pub