Telecomunicações Vodafone com novo posicionamento a nível global

Vodafone com novo posicionamento a nível global

O operador vai arrancar na sexta-feira com uma campanha a nível global de reposicionamento da marca. “Vamos ser sempre uma marca mundial com raízes locais”, sublinhou a directora de marca da Vodafone Portugal.
Vodafone com novo posicionamento a nível global
Miguel Baltazar
Sara Ribeiro 05 de outubro de 2017 às 00:01

A Vodafone vai implementar a partir de sexta-feira uma nova estratégia de reposicionamento a nível global. Estas mudanças vão ser suportadas com a maior campanha publicitária de televisão de sempre nos 33 anos de história do grupo de telecomunicações.

Este reposicionamento, o primeiro desde 2009 quando a marca introduziu a assinatura "Power to You" vai ser transversal aos 36 mercados onde a empresa está presente.

No entanto, em Portugal, mercado onde a operadora celebra 25 anos, a assinatura e o filme publicitário serão ligeiramente diferentes. A nova assinatura vai passar a ser "O futuro é incrível. Ready" e a campanha de promoção vai incluir imagens de Lisboa e do Porto, contou Leonor Dias, directora de marca da Vodafone Portugal, durante a apresentação da nova estratégia da empresa.

"Vamos ser sempre uma marca mundial com raízes locais", sublinhou a responsável, adiantando ainda que a Vodafone Portugal foi a única subsidiária que desenvolveu uma música de raiz para a campanha. Trata-se do tema "Ready to Move On" da autoria do músico português Riic Wolf.

Questionado sobre o investimento na campanha que vai estar presente em televisão, no digital e exterior (outdoors), Leonor Dias comentou apenas que "é uma percentagem muito significante do ano fiscal, mas não vamos revelar números".

O reposicionamento do grupo foi suportado por um estudo de mercado, para o qual foram entrevistadas mais de 17 mil pessoas em dez países diferentes, com o objectivo de avaliar o grau de optimismo ou pessimismo dos consumidores tendo em conta o papel da tecnologia no seu dia-a-dia. Em Portugal, 55% dos inquiridos acredita "que daqui a 20 anos a sua vida será melhor", contou Leonor Dias, para explicar os motivos da escolha da mensagem de "optimismo" no novo posicionamento da empresa.

Já Mário Vaz, presidente executivo da Vodafone Portugal, relembrou que o "optimismo e a confiança no futuro é uma atitude que conhecemos e vivemos desde 1992".

"Em 1992 começámos a dizer às pessoas que o telefone era para ser utilizado por todos. E, na altura, eram muitos os cépticos. Mais tarde, que o telefone era para ser utilizado em qualquer local. Agora, numa fase nova, em que a transformação digital começou, tínhamos que transmitir este optimismo. E em boa hora o fizemos. Sempre fomos optimistas e corajosos. Sempre olhámos para a tecnologia como um meio para", contou o líder da subsidiária portuguesa.

Mário Vaz aproveitou ainda para relembrar que para seguir este caminho "é essencial, como operador de telecomunicações, termos as melhores infraestruturas". Para tal, "investimos muitos milhões nos últimos anos", chegando agora a 2,7 milhões de casas com a sua rede de fibra óptica. Um número que no próximo ano vai aumentar, tendo em conta o recente acordo de partilha de rede com a Nos. Esta parceria vai permitir que a Vodafone Portugal chegue a 4 milhões de casas "num futuro breve", adiantou.

O filme publicitário, produzido pela produtora do realizador Ridley Scott, vai para o ar na sexta-feira, 6 de Outubro. Quanto à escolha deste meio para comunicar o novo posicionamento, Leonor Dias sublinhou que "em Portugal não se consegue cobertura do "target" sem [marcar presença na] televisão".




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub
pub
pub
pub