Telecomunicações Vodafone ganha contrato de 1,4 milhões com Ministério das Finanças

Vodafone ganha contrato de 1,4 milhões com Ministério das Finanças

A operadora liderada por Mário Vaz venceu o concurso para a prestação de serviços móveis de voz e dados lançado pelo Ministério das Finanças. O contrato tem a duração quase dois anos.
Vodafone ganha contrato de 1,4 milhões com Ministério das Finanças
Pedro Elias/Negócios
Sara Ribeiro 29 de Novembro de 2016 às 15:40

A Vodafone ganhou o contrato para a prestação de serviços móveis lançado em Junho deste ano pelo Ministério das Finanças. O contrato de prestação de serviços, no valor de 1,4 milhões de euros, foi celebrado no dia 18 de Novembro e tem a duração de 720 dias a partir desta data.

De acordo com as informações publicadas no portal Base a Meo e a Nos também participaram no processo. A Meo enviou a sua proposta final no mesmo dia que a Vodafone, no dia 9 de Junho, mas posteriormente foi excluída por não ter respondido a todos os parâmetros. O documento da Nos foi recepcionado pela entidade pública no dia 10 de Junho.

Segundo os dados do site que agrega as informações dos contratos públicos online o concurso estava dividido em dois lotes: um para o serviço móvel de voz e dados e outro para serviço móvel de dados.

Segundo a secretaria-geral do Ministério das Finanças a operadora da PT não apresentou a "nota justificativa do preço" para o lote 2.

A proposta da Nos "reuniu os requisitos necessários para ser admitida", mas o ministério acabou por adjudicar os dois lotes à Vodafone.

Este ano a Vodafone também ganhou a construção das redes de comunicações fixas dos Ministérios da Agricultura, da Justiça e do Mar, como João Mendes Dias, responsável pela área empresarial da operadora, tinha adiantando em entrevista ao Negócios.




A sua opinião2
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
comentários mais recentes
Anónimo Há 1 semana

Quanto recebeu da Vodafone a jornalista para publicar este texto aberrante, demonstrativo que nao sabe do que fala?

joaoaviador Há 1 semana

Coisas do diabo e da Vodafone, claro...

pub