Media Vogue passa para editora da GQ

Vogue passa para editora da GQ

A reestruturação do grupo Cofina dita o fim de uma parceria com 15 anos. A revista de moda feminina vai para a Light House, editora que já tinha vontade em reforçar o portefólio com um título da Condé Nast.
Vogue passa para editora da GQ
Wilson Ledo 11 de maio de 2017 às 13:25

A revista Vogue Portugal vai deixar de ser editada pelo grupo Cofina, dono do Negócios e do Correio da Manhã.

"A Cofina Media informa que, no âmbito da organização que está a levar a cabo, deixará de editar a revista Vogue Portugal, uma licença da Condé Nast Publications" a partir de Setembro, confirmou o grupo em comunicado. 


Às questões do Negócios sobre os motivos do fim do contrato com o grupo britânico e sobre o futuro dos trabalhadores da Vogue Portugal, o porta-voz do grupo optou por não tecer mais comentários.

Certo é que não foi renovado o licenciamento para os próximos cinco anos. Também o grupo editorial Condé Nast - que detém ainda títulos como a Vanity Fair, Wired ou The New Yorker - diz não ter "mais comentários a fazer neste assunto".

Quinze anos depois, o título de moda feminina passará para a Light House, como avançou o Dinheiro Vivo. A editora criada por José Santana e Sofia Lucas, antigos trabalhadores da Cofina, já publica a GQ. Também esta revista masculina de moda e "lifestyle" integrava o universo de publicações do grupo liderado por Paulo Fernandes, tendo fechado em 2014.


Já em 2015, numa entrevista ao Sol, Sofia Lucas revela o interesse em publicar uma revista feminina da Condé Nast, "provavelmente em 2016". Na altura, e tendo em conta a integração da Vogue no grupo Cofina, a responsável descartava o cenário que se verificará a partir de Setembro.

Ao Negócios, Sofia Lucas esclareceu que "foi a Condé Nast que decidiu mudar de editora". O contacto foi feito pelo grupo britânico e as negociações decorriam "há uns meses".

 

"Desde que abrimos a Light House, com a GQ, temos tido um contacto muito próximo", acrescentou. A responsável diz que está a ser preparado um novo projecto mas prefere não entrar em pormenores como a constituição da nova equipa.

Em comunicado, a Light House esclarece que ficará com os direitos da Vogue a partir de 1 de Setembro. 


Os dados da APCT - Associação Portuguesa para o Controlo de Tiragem e Circulação mostram que a Vogue Portugal tinha uma circulação de cerca de 17 mil exemplares, um número em quebra face a anos anteriores.

(Notícia actualizada às 15:50 com mais informação e novamente às 18H50 com declarações da Light House)




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub