Automóvel Volkswagen diz que já reparou mais de metade dos diesel 2.0 recolhidos nos EUA

Volkswagen diz que já reparou mais de metade dos diesel 2.0 recolhidos nos EUA

A empresa alemã terá, até ao final de 2018, de reparar ou recomprar as viaturas afectadas nos EUA. Até ao momento, o programa já abrangeu mais de metade dos veículos em causa.
Volkswagen diz que já reparou mais de metade dos diesel 2.0 recolhidos nos EUA
reuters, bloomberg
Negócios com Reuters 14 de abril de 2017 às 17:32

A Volkswagen anunciou esta sexta-feira, 14 de Abril, que já recomprou ou reparou mais de metade dos 475 mil veículos diesel com motores de dois litros afectados nos Estados Unidos pelo escândalo da manipulação das emissões de gases nocivos.

A recolha ou reparação, que foi acordada com as autoridades norte-americanas no âmbito de um acordo judicial, abrangeu a compra de quase 238 mil viaturas e a reparação de 6.200 delas, nos seis meses que passaram desde que fechou a solução jurídica com os EUA.

"Estamos muito do previsto," disse, citado pelo MarketWatch, Mark McNabb, um executivo da Volkswagen que superintende o programa de recompra e reparação. McNabb estima que entre 20% e 30% dos clientes que aderiram à venda à Volkswagen do carro afectado acabaram por comprar um novo carro da mesma marca.

Em 2015 o fabricante alemão de automóveis admitiu ter instalado, sem o conhecimento dos proprietários e com o objectivo de viciar os resultados dos testes de estrada, software que permitia que as viaturas emitissem gases com efeitos nocivos até 40 vezes acima dos limites permitidos pela lei.

Até ao final de 2018, segundo o acordo com as autoridades norte-americanas, a Volkswagen tem de recomprar ou de reparar pelo menos 85% dos veículos afectados.

A solução para os clientes norte-americanos pode vir a custar cerca de 10 mil milhões de dólares à empresa na recompra de viaturas e no pagamento de indemnizações que podem oscilar entre cinco e dez mil euros por proprietário.




A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub