Automóvel Volkswagen em reunião de crise para discutir acusações de cartel

Volkswagen em reunião de crise para discutir acusações de cartel

O encontro do conselho de supervisão vai decorrer esta quarta-feira, cinco dias depois de ter sido avançado que as autoridades europeias estão a investigar suspeitas de conluio entre fabricantes automóveis alemães.
Volkswagen em reunião de crise para discutir acusações de cartel
reuters, bloomberg
Negócios com Reuters 24 de julho de 2017 às 13:27
O conselho de supervisão da Volkswagen vai reunir esta quarta-feira para debater as alegações da concorrência europeia sobre a participação daquela empresa num alegado cartel alemão de fabricantes automóveis, avança a Reuters que confirmou a existência do encontro.

A Comissão Europeia sustenta que poderá haver indícios de encontros entre responsáveis da Volkswagen, da Audi, da Porsche, da Mercedes e da BMW, no âmbito das reuniões do sector, para estabelecer preços de componentes e tecnologias, o que poderá constituir comportamentos anti-concorrenciais. 

As alegações - que podem conduzir, caso sejam provadas, a pesadas multas - estão a ter impacto negativo nas cotações das acções das empresas automóveis europeias, ainda a sair do escândalo da manipulação de emissões de gases nocivos, protagonizado pela Volkswagen.

A Daimler, dona da Mercedes, recua 2,01% para 72,94 euros, a BMW cai 1,98% para 79 euros, enquanto a Volkswagen cede 1,78% para 134,48 euros, atenuando as perdas de início de sessão.

"Podem vir a surgir detalhes ainda mais negativos, deixando os fabricantes alemães - e o sector automóvel da União Europeia - firmemente no lugar do suspeito", disse à Reuters o analista da Exane BNP Paribas, Stuart Pearson.

A notícia de possível conluio entre os fabricantes foi avançada esta sexta-feira pela revista alemã Der Spiegel. Segundo a publicação, o alegado esquema de concertação, que teria efeito na redução de emissões poluentes em veículos 'diesel', existiria desde os anos 90.

"As viaturas do grupo BMW não são manipuladas e estão em conformidade com as normas legais", referiu a construtora alemã entretanto em comunicado, citado pela Lusa. "Isso abrange as viaturas diesel e tem sido confirmado pelos resultados dos testes das autoridades nacionais e internacionais", acrescentou.



A sua opinião0
Este é o seu espaço para poder comentar o nosso artigo. A sua opinião conta e nós contamos com ela.
Faltam 300 caracteres
Negócios oferece este espaço de comentário, reflexão e debate e apela aos leitores que respeitem o seu estatuto editorial, promovam a discussão construtiva e combatam o insulto. O Negócios reserva-se ao direito de editar, apagar ou mesmo modificar os comentários dos seus leitores se atentarem contra o bom senso e seriedade.O acesso a todas as funcionalidades dos comentários está limitada a leitores registados e a Assinantes.
comentar
pub